MAIS LIDAS
VER TODOS

Economia

Dezembro foi positivo na arrecadação e tributação sobre consumo teve reação, afirma Ceron

O secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, avaliou nesta segunda-feira, 29, que o mês de dezembro foi "positivo" para a arrecadação do governo, diante de uma "reação importante" da tributação sobre o consumo. Para Ceron, o resultado indica uma retom

Amanda Pupo e Fernanda Trisotto (via Agência Estado)

·
Escrito por Amanda Pupo e Fernanda Trisotto (via Agência Estado)
Publicado em 29.01.2024, 12:07:00 Editado em 29.01.2024, 12:11:21
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

O secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, avaliou nesta segunda-feira, 29, que o mês de dezembro foi "positivo" para a arrecadação do governo, diante de uma "reação importante" da tributação sobre o consumo. Para Ceron, o resultado indica uma retomada e é um sinal importante para os próximos meses, pontuando que, mesmo que parciais, os dados de janeiro também apontam uma recuperação no nível de receitas do governo. "A performance de janeiro, ainda que parcial, nos dá perspectivas positivas", disse. Em dezembro, a arrecadação do governo teve alta real de 3,6%. Mas, no ano, houve um recuo de 2,8%.

continua após publicidade

Segundo o Tesouro, em dezembro, foi registrado um aumento de R$ 1,1 bilhão na arrecadação do IPI, além de mais R$ 6 bilhões na entrada de receitas do Imposto sobre a Renda. Já em relação ao CSLL, houve um recuo de R$ 1,6 bilhão no último mês.

Sentenças judiciais e Bolsa Família

continua após publicidade

Rogério Ceron também destacou que as variáveis relativas a sentenças judiciais e a despesas com o Bolsa Família fecharam 2023 tendo um crescimento "expressivo". No geral, os gastos do governo cresceram 12,5% no ano passado, com um aumento de R$ 66,5 bilhões em pagamento de benefícios previdenciários e alta de R$ 53,4 bilhões em dispêndios com sentenças judiciais e precatórios. No caso das despesas obrigatórias e com controle de fluxo, o crescimento foi de R$ 98,8 bilhões. Ainda houve um avanço de R$ 24,6 bilhões com pagamento de gastos discricionários.

Ceron também chamou atenção para o nível de empoçamento no orçamento, que fechou o ano em cerca de R$ 20 bilhões, "em linha com o nível histórico". Ele pontuou, por sua vez, um avanço importante de novembro para dezembro, em que os órgãos "realmente se empenharam" para fazer as execuções orçamentárias.

Já sob o aspecto das receitas em 2023, o secretário ressaltou um "movimento atípico" de distribuição de dividendos, incluindo Petrobras. Segundo o Tesouro, no ano, houve uma redução de R$ 41,1 bilhões na arrecadação relativa a Dividendos e Participações. Houve recuo também em concessões e permissões, de R$ 40,7 bilhões. Ceron ainda reforçou que o quadro de despesas em dezembro não reflete um bom comparativo com o mesmo período de outros anos, uma vez que o governo precisou desembolsar mais de R$ 90 bilhões para o pagamento extraordinário de precatórios.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "Dezembro foi positivo na arrecadação e tributação sobre consumo teve reação, afirma Ceron"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!