Economia

CSN autoriza IPO da Mineração e atualiza projeções

Da Redação ·

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) atualizou o plano de negócios da CSN Mineração, sua controlada, e para viabilizar os investimentos na expansão da unidade, autorizou seus diretores a tomarem as medidas necessárias para a realização de uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da subsidiária.

continua após publicidade

De acordo com atualização do plano de negócios da empresa enviada na manhã desta segunda-fera à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a CSN decidiu pelo IPO da unidade de mineração "à luz das condições favoráveis e perspectivas positivas do mercado de minério de ferro". Além disso, a companhia afirma que a oferta traria recursos necessários para acelerar o crescimento orgânico da mina de Casa de Pedra.

A CSN estima que, com os projetos de expansão que pretende implementar, a capacidade de produção anual de minério de ferro em sua unidade de mineração chegará a 108 milhões de toneladas no ano de 2033. Em 2019, a capacidade estava em 33 milhões de toneladas. O teor de ferro do minério entregue também deve aumentar, dos atuais 62% para 67%.

continua após publicidade

A expansão nesse espaço de 14 anos se dará pelo desenvolvimento de quatro grandes blocos de projetos, de acordo com a empresa, ao longo dos próximos 10 anos. Eles incluem a expansão da Planta Central, a recuperação de rejeitos de barragens, os projetos de Itabirito e a expansão do TECAR. Ao todo, os quatro projetos demandarão R$ 31,3 bilhões, sendo que R$ 22,7 bilhões serão apenas para Itabirito.

"O potencial IPO da CSN Mineração é mais um passo em direção à estratégia de criação de valor do grupo, através do uso eficiente dos seus ativos para impulsionar o crescimento e a desalavancagem da companhia", afirma a siderúrgica no documento. Não há estimativas de quantos recursos a operação pode captar.

Projeções

continua após publicidade

A CSN também divulgou suas projeções para o ano de 2020. A estimativa da empresa é atingir aproximadamente R$ 9,75 bilhões de Ebitda ajustado no fechamento do balanço anual de 2020.

A siderúrgica projeta ainda atingir uma relação divida liquida/Ebitda ajustado de aproximadamente 2,99 vezes neste ano. A projeção é menor que a última estimativa feita pela empresa, em julho, de 3,75 vezes. Para o capex, a nova meta da empresa é de cerca de R$ 1,50 bilhão até o final de dezembro.