Economia

Correção: Bolsas da Europa fecham em alta, com decisões do BoE, BCE e Fed

Da Redação ·

A nota publicada anteriormente continha incorreção no texto. A cotação de fechamento do índice Ibex 35 estava incorreta. O certo é 8.380,00 pontos, e não 8.402,10 pontos. Segue a versão correta do texto:

continua após publicidade

As bolsas na Europa fecharam em alta nesta quinta-feira, com os principais índices registrando avanço acima de 1%. Investidores absorvem as decisões monetárias dos maiores bancos centrais do mundo: na Inglaterra, o BoE elevou sua taxa básica de juros, contrariando expectativa da maior parte do mercado. Já o Banco Central Europeu (BCE) decidiu pela manutenção dos juros, como também na quarta-feira fez o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que acelerou o ritmo do tapering.

O índice Stoxx 600, que avalia o desempenho de empresas por todo o continente, subiu 1,23%, a 476,56 pontos.

continua após publicidade

O BoE elevou sua taxa básica de juros de 0,10% para 0,25% com a justificativa de conter o avanço da inflação no Reino Unido. Para o ING, a surpresa anunciada pelo BoE abre espaço para duas, ou até três, altas da taxa no ano que vem. No entanto, o banco holandês acredita que os dirigentes devem esperar ao menos até o encontro de fevereiro para agir novamente, quando mais dados da cepa Ômicron do coronavírus estarão disponíveis.

Economista-chefe da CMC Markets, Michael Hewson caracteriza a linha do tempo para os juros ingleses como "curiosa" e observa que a decisão impulsionou os ganhos no setor de finanças. Os bancos Lloyds, HSBC e Barclays subiram 4,63%, 3,69% e 3,21%, respectivamente. O FTSE 100, em Londres, fechou em alta de 1,25%, a 7.260,61 pontos.

Já o BCE manteve sua taxa básica de juros, como esperado, porém anunciou a redução gradual do volume de compra de ativos em seu programa emergencial, o PEPP. O compromisso de reduzir seu programa regular de compra de ativos, o APP, foi considerado mais hawkish do que o esperado, diz a capital Economics. Presidente da instituição, Christine Lagarde afirmou ser improvável que os juros subam ainda em 2022. A líder também previu que o crescimento na zona do euro deve voltar a ficar forte em 2022. Na avaliação do Nordea, as decisões anunciadas nesta quinta pelo BCE pavimentam seu caminho para sair da política monetária excepcional adotada durante a pandemia.

continua após publicidade

Em Paris, o CAC 40 avançou 1,12%, a 7.005,07 pontos, e em Frankfurt, o DAX subiu 1,03%, a 15.636,40. Pontos. O FTSE MIB, em Milão, teve alta de 0,44%, a 26.782,44 pontos.

O otimismo também foi impulsionado pela maior busca por risco generalizada após postura hawkish do Fed na quarta. O banqueiro central da principal economia do mundo, Jerome Powell, deixou clara que a instituição está de olho na inflação americana.

Em Madri, o Ibex 35 subiu 1,27%, a 8.380,00 pontos, enquanto em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 0,34%, a 5.447,62 pontos.