Economia

Confiança de serviços sobe 6,4 pontos em maio ante abril, a 88,1 pontos, diz FGV

Da Redação ·

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) avançou 6,4 pontos na passagem de abril para maio, na série com ajuste sazonal, para 88,1 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira, 31. Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 1,6 ponto.

continua após publicidade

"A confiança do setor de serviços melhora pelo segundo mês consecutivo, recuperando não apenas as perdas de 2021, mas retornando ao maior patamar desde o início da pandemia. O resultado favorável no mês se destaca para uma avaliação mais positiva sobre os indicadores que medem a situação no momento, indicando aumento no volume de demanda por serviços após período de restrições mais rígidas entre março e abril. A expectativa é que a expansão do programa de vacinação atingindo uma parcela maior da população contribua para a continuidade da recuperação no setor bastante afetado durante todo o período da pandemia", avaliou Rodolpho Tobler, economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

Em maio, houve melhora em 12 dos 13 segmentos pesquisados. O Índice de Situação Atual (ISA-S) subiu 9,2 ponto, para 84,0 pontos. O Índice de Expectativas (IE-S) cresceu 3,7 pontos, para 92,4 pontos.

continua após publicidade

A FGV ressalta que os impactos da pandemia no setor de serviços não foram homogêneos. Alguns segmentos tiveram mais dificuldades de recuperação, o que se reflete na dispersão da confiança entre os 13 segmentos que integram a pesquisa. Quanto mais alto o desvio padrão, maior a diferença entre os segmentos. Após o desvio padrão atingir um pico em março, houve melhora em abril e maio, com a recuperação da confiança mais espalhada nesses últimos dois meses.

"O aumento de medidas restritivas em março impactou alguns segmentos, em especial aqueles que demandam a presença física dos clientes. Mas nos últimos dois meses, a recuperação tem sido mais disseminada e a dispersão entre os segmentos tem diminuído", completou Tobler.

A coleta de dados para a edição de maio da Sondagem de Serviços foi realizada com 1.521 empresas entre os dias 3 e 27 do mês.