Economia

Concessões no crédito livre sobem 5,9% em novembro ante outubro, diz BC

Da Redação ·

Em meio ao processo de reabertura da economia, na esteira da pandemia do novo coronavírus, as concessões dos bancos no crédito livre subiram 5,9% em novembro ante outubro, para R$ 328,2 bilhões, informou nesta quarta-feira (23) o Banco Central. No ano, o avanço acumulado foi de 2,0% e, nos 12 meses até novembro, de 3,8%.

continua após publicidade

Estes dados, apresentados hoje pelo BC, não levam em conta ajustes sazonais. Os números são influenciados pelos efeitos da pandemia, que colocou em isolamento social boa parte da população e reduziu a atividade das empresas, em especial nos meses de março e abril. Em meio à carência de recursos, famílias e empresas aumentaram a demanda por algumas linhas de crédito nos bancos. O BC não divulga dados sobre o quanto a procura por crédito aumentou - mas apenas sobre o quanto foi concedido.

Em novembro, no crédito para pessoas físicas, as concessões subiram 5,6%, para R$ 178,5 bilhões. Em 12 meses até novembro, há baixa de 0,1%. Já no caso de pessoas jurídicas, as concessões subiram 6,4% em novembro ante outubro, para R$ 149,7 bilhões. Em 12 meses até novembro, o avanço é de 8,2%.

continua após publicidade

Apesar das dificuldades de famílias e empresas para fechar as contas em meio à pandemia, a taxa de inadimplência nas operações de crédito livre com os bancos voltou a ceder em novembro, passando de 3,1% para 3,0% no mês passado.

Para as pessoas físicas, a taxa de inadimplência foi de 4,5% 4,3% no período. No caso das empresas, a taxa permaneceu em 1,5% de um mês para o outro.

A inadimplência do crédito direcionado (recursos da poupança e do BNDES) caiu de 1,3% para 1,2% na passagem de outubro para novembro.

continua após publicidade

Já o dado que considera o crédito livre mais o direcionado mostra que a taxa de inadimplência cedeu de 2,3% para 2,2%.

Estoque

O estoque total de operações de crédito do sistema financeiro subiu 2% em novembro ante outubro, para R$ 3,954 trilhões, informou o Banco Central. Em 12 meses, houve alta de 15,6%. Em novembro ante outubro, houve alta de 2% no estoque para pessoas físicas e elevação dos mesmos 2% para pessoas jurídicas. De acordo com o BC, o estoque de crédito livre avançou 2,5% em novembro, enquanto o de crédito direcionado apresentou alta de 1,3%.

O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) foi de 52,4% para 53,1% na passagem de outubro para novembro. As projeções do BC, atualizadas no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de dezembro, indicam expansão de 15,6% para o crédito total em 2020. A projeção para o crédito livre em 2020 é de alta de 15,8%. Já expectativa para o crédito direcionado é de elevação de 15,2%.