Economia

Com exterior positivo, dólar tem queda moderada

Da Redação ·

O dólar opera em queda moderada na manhã desta quinta-feira, em sintonia com o enfraquecimento da moeda norte-americana no mercado internacional. Apesar da menor tensão relacionada à crise de insolvência da Evergrande na China e à política monetária dos Estados Unidos, ainda há volatilidade em alguns ativos, como o petróleo, que voltou a cair. Por aqui, o mercado segue em análises do ambiente macroeconômico, após a elevação da taxa Selic.

continua após publicidade

O Rabobank considerou o Comitê de Política Monetária (Copom) "hawkish" (duro) na decisão de elevar a Selic em 1 ponto porcentual, a 6,25%. A previsão do banco é de mais duas altas da mesma magnitude até dezembro, quando a taxa de juros chegaria ao fim do ciclo em 8,25%.

"O mercado pode se decepcionar um pouco porque está precificando uma Selic mais alta no fim de 2022, e por isso antecipamos alguma fraqueza de curto prazo do real", afirmam em relatório os estrategistas Maurício Une e Gabriel Santos.

continua após publicidade

Já o UBS BB elevou a sua projeção de taxa Selic terminal de 8,25% para 9,25%, na esteira do comunicado do Copom.

E a política monetária segue no radar internacional. Nesta quinta, o Banco da Inglaterra (BoE) manteve sua taxa básica de juros em 0,10% e o tamanho do seu programa de relaxamento quantitativo (QE) em 895 bilhões de libras, incluindo 875 bilhões de libras em Gilts e 20 bilhões em bônus corporativos, como previsto por analistas.

Segundo comunicado divulgado após o fim da reunião de política monetária, os nove dirigentes do banco central inglês foram unânimes na manutenção do juro básico.

continua após publicidade

Entre os indicadores econômicos do dia, destaque para o número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, que subiram em 16 mil na última semana, totalizando 351 mil. O número é superior à expectativa do mercado, de 320 mil solicitações.

Às 9h57, o dólar à vista era negociado a R$ 5,2918, em baixa de 0,24%.

O Dollar Index (DXY), que mede a variação do dólar ante uma cesta de seis divisas fortes, tinha baixa de 0,36%.