Com ações de bancos, Bolsa fecha no maior nível desde 1º de setembro - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Economia

Com ações de bancos, Bolsa fecha no maior nível desde 1º de setembro

Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Em dia de forte desempenho para as ações de bancos (Itaú PN +5,14% e Bradesco PN +4,60%), ainda muito descontadas no ano, e Petrobras (PN +3,37% e ON +3,17%), com o Brent para dezembro em alta de 1,75%, o Ibovespa emendou o quarto avanço consecutivo, algo que não ocorria desde o início de julho.

Os ganhos firmados em meados da tarde em Nova York contribuíram para que o índice da B3 acentuasse a recuperação e fechasse em alta de 1,36%, a 101.917,73 pontos, não muito distante da máxima da sessão, de 102.020,44 pontos, melhor nível intradia desde 3 de setembro, então aos 103.225,58. Agora, o ganho acumulado no mês, a 7,73%, aproxima-se do observado no intervalo entre maio e julho, quando variou entre 8,27% e 8,76%.

O nível de fechamento desta quinta-feira foi o melhor desde 1º de setembro (102.167,65).

"Houve pessimismo exagerado com o setor de bancos durante o pior momento da pandemia, em que ocorreu aumento das provisões contra inadimplência. Agora, com os investidores em busca de ações com desconto, e a expectativa para os balanços do terceiro trimestre, que devem mostrar melhora, o setor volta a ser olhado com interesse. E isso é importante porque bancos, Petrobras e Vale (+0,40%) respondem por 50% do volume diário", observa Márcio Gomes, analista da Necton Investimentos.

No ano, para citar apenas dois exemplos, Itaú PN ainda acumula perda de 28,06% e Bradesco PN, de 30,29%, enquanto o Ibovespa recua 11,87% no período.

Na semana, o Ibovespa avança agora 3,67%, com giro financeiro nesta quinta-feira a R$ 28,2 bilhões. Os índices de ações em Nova York oscilaram até o meio da tarde, reagindo a declarações da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi.

De início, a reação foi positiva a comentários da democrata, de que se estaria "perto" de um acordo fiscal, mas logo depois sobreveio o desânimo, com a indicação, também de Pelosi, de que "levará um tempo" até que a legislação seja escrita. Ao fim, o desempenho positivo das ações de bancos, amparados por balanços em geral acima do esperado, colocou os índices de NY de volta ao azul, após leves perdas na quarta-feira.

As moderadas variações em Wall Street refletem a cautela em torno da possibilidade de um desfecho sobre o pacote fiscal antes da eleição de 3 de novembro nos EUA, o que parece menos provável à medida que o tempo avança sem conclusão nas negociações. "O tempo está passando e aprovar pacote fiscal antes da eleição requer tempo", disse nesta quinta o chefe da assessoria econômica da Casa Branca, Larry Kudlow.

O retorno do investidor estrangeiro à B3 em outubro e a expectativa favorável para a temporada de balanços do terceiro trimestre contribuem para o passo próprio. Até o dia 20, o saldo estrangeiro acumulado no mês está positivo em R$ 2,647 bilhões, com saque líquido no ano a R$ 85,1 bilhões.

Na ponta do Ibovespa nesta sessão, destaque para Itaú PN (+5,14%), seguida por PetroRio (+4,93%), WEG (+4,73%) e Bradesco PN (+4,60%). No lado oposto, Cogna cedeu 2,58%, à frente de BR Malls (-2,37%), B2W (-2,30%) e B3 (-2,27%).

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Com ações de bancos, Bolsa fecha no maior nível desde 1º de setembro"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.