Economia

China: PBoC mantém juros, mas reduz taxa de hipoteca para comprador do 1º imóvel

Da Redação · GoogleNews

Siga o TNOnline
no Google News

Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

O Banco do Povo da China (PBoC, o banco central chinês) decidiu deixar algumas de suas principais taxas de juros inalteradas nesta segunda-feira, 16, apesar de novos sinais de desaceleração da segunda maior economia do mundo em meio aos esforços do governo chinês para conter a atual onda de covid-19 no país.

continua após publicidade

Em breve comunicado, o PBoC informou que injetou no sistema financeiro 100 bilhões de yuans (cerca de US$ 14,7 bilhões) em liquidez por meio de sua linha de crédito de médio prazo a uma taxa de juros de 2,85%, a mesma da operação anterior.

O PBoC também injetou 10 bilhões de yuans por meio de acordos de recompra reversa de sete dias, cobrando juro de 2,1%, também o mesmo da última operação.

continua após publicidade

Isso significa que o BC chinês provavelmente manterá inalteradas este mês as taxas de juros de referência para empréstimos, as chamadas LPRs, que são baseadas nas taxas do crédito de médio prazo.

Por outro lado, o PBoC reduziu o limite mínimo de taxas de hipoteca para compradores do primeiro imóvel em até 20 pontos-base, em nova tentativa de reavivar o setor imobiliário chinês. Com informações da Dow Jones Newswires.