Economia

Casa Branca alerta para suspensão de teto da dívida e diz que não há 'plano B'

Da Redação ·

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou nesta quarta-feira que a aprovação da suspensão do teto da dívida do país precisa ser aprovada pelo Congresso, e que não há um "plano B" no tema. Em coletiva de imprensa, ela reforçou que a administração quer um evitar o shutdown, que são "custosos e danosos", sendo este o principal objetivo, mas indicou que o governo tentará "minimizá-lo se ocorrer".

continua após publicidade

Segundo a porta-voz, o tema não deveria ser uma questão política, e a administração espera apoio bipartidário. De acordo com Psaki, o líder republicano no Senado, Mitch McConnell bloqueou iniciativas para a suspensão do teto, o que deixou o governo "desapontado", lembrando que o legislador já falou em público sobre os risco de um default em outras ocasiões.

A representante citou estudos do Escritório de Orçamento do Congresso (CBO, na sigla em inglês) que estimaram que um shutdown parcial em 2019 causou prejuízos de US$ 11 bilhões.

continua após publicidade

O principal tema da coletiva foram as votações sobre infraestrutura no Congresso, que tiveram um prazo estabelecido para a quinta-feira. Segundo Psaki, a questão é uma discussão separada da suspensão do teto, e a data foi estabelecida pelos líderes legislativos.

De acordo com a porta-voz, há muito trabalho para se fazer ao longo do dia, e uma serie de negociações seguem ocorrendo. "Não estamos em posição de garantir votação de infraestrutura amanhã, estamos correndo contra relógio", afirmou a representante, que por sua vez não negou a possibilidade de uma votação posterior.

Sobre as tratativas, "sabíamos que iriam requerer conversas e concessões, todos terão que abrir mão um pouco", indicou a democrata, que concluiu que o "melhor no momento é unificar democratas e buscar 50 votos no Senado".