Mais lidas

    Economia

    Economia

    Câmara começa a discutir urgência em PL de privatização dos Correios

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 20.04.2021, 16:45:00 Editado em 20.04.2021, 16:51:58
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    A Câmara começou a discutir o requerimento de urgência para o projeto de lei que cria um novo marco postal e abre espaço para a privatização dos Correios. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), já havia sinalizado que iria pautar a proposta, mas não há acordo entre as lideranças para aprovar o pedido, segundo apurou o Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

    A urgência torna a proposta prioritária na fila de votação de projetos da Casa e permite que ela possa ser pautada no plenário a qualquer momento.

    Contra a urgência, o deputado Paulão (PT-AL) disse que o projeto é "lesa pátria" e atenta contra a cidadania e o povo brasileiro. "O PT não colocará a digital nesse projeto que lesa a soberania", afirmou.

    Em uma tentativa de retirar o requerimento da pauta, o parlamentar apelou para o fato de Lira ter sido seu colega na Câmara de Vereadores de Maceió e ressaltou que o projeto de lei não foi discutido em comissões e audiências públicas.

    Em resposta a Paulão, Lira disse que nada será aprovado sem que haja concordância da maioria dos deputados.

    O deputado Paulo Ganime (Novo-RJ), por sua vez, disse que os serviços dos Correios são ruins e motivo de chacota. "É motivo de vergonha para nós, agentes públicos, que devemos fiscalizar e garantir a boa prestação do serviço público", afirmou.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "Câmara começa a discutir urgência em PL de privatização dos Correios"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.