Bom humor externo impulsiona Ibovespa, mas fator político fica no radar - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

    Economia

    Bom humor externo impulsiona Ibovespa, mas fator político fica no radar

    Escrito por Da Redação
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    Os mercados internacionais retomam o otimismo nesta segunda-feira, a despeito do aumento de casos de coronavírus no mundo. Os investidores iniciam a semana animados com a retomada da economia mundial e evolução em testes para vacina contra a covid-19. A safra de balanços trimestrais nos Estados Unidos, que começou hoje com a PepsiCo, é tida como um importante termômetro para balizar os sinais de recuperação após o choque da pandemia. O lucro ajustado da companhia surpreendeu analistas, fazendo as ações subirem.

    A semana ainda conta com a divulgação de indicadores considerados relevantes pelo mercado aqui e no exterior, além de decisões políticas importantes que envolvem vetos presidenciais, cuja derrubada terá implicações fiscais, descreve o economista Silvio Campos Neto, sócio da Tendências Consultoria.

    Com esse sentimento, o Ibovespa avança, dando sequência aos ganhos de sexta-feira, quando voltou a superar os 100 mil pontos, o que não era visto desde o dia 6 de março. O índice fechou em alta de 0,88%, aos 100.031,88 pontos, após ter atingindo a máxima aos 100.100,98 pontos.

    "O ânimo externo está ajudando, e o índice tenta busca os 101 mil pontos, operando como se não estivesse acontecendo avanço de casos de coronavírus", diz o estrategista-chefe da Levante Ideias de Investimentos, Rafael Bevilacqua. Na máxima, o índice alcançou 100.857,68 pontos.

    Por ora, sintetiza Campos Neto, da Tendências, o sentimento de recuperação prevalece sobre os focos ainda presentes de preocupação, como o avanço dos casos de covid-19 nos EUA e os embates entre as duas maiores economias do mundo.

    Já a China anunciou que vai impor sanções a quatro autoridades dos EUA, incluindo os senadores republicanos Marco Rubio e Ted Cruz, em retaliação às restrições americanas adotadas a autoridades chinesas por supostas violações de direitos humanos em Xinjiang. "São situações que, embora não impeçam o bom humor da abertura, impõem limites e riscos aos movimentos", pondera.

    Apesar do avanço do Ibovespa ainda não contar com a presença do investidor estrangeiro, o mercado de capital brasileiro, de certa forma, está agitado mesmo neste momento de pandemia. A estreia da Ambipar ON na B3 é um retrato da atratividade do mercado de capitais, pelo menos aos olhos do investidor doméstico. A companhia de gestão ambiental é a primeira empresa no setor a ser listada na Bolsa, e já subia 15,23% logo após primeira abertura na B3. Os pedidos dos investidores pelas ações superaram em mais de dez vezes as ações que foram ofertadas. Com R$ 1,08 bilhão indo ao caixa da empresa, a Ambipar prepara agora uma nova onda de crescimento, mirando aquisições, informa a repórter Fernanda Guimarães.

    Ainda que não influencie diretamente o Ibovespa, o investidor poderá olhar com bons olhos novas ondas de oferta de ações, envolvendo o Grupo Dimed, da rede de farmácias Panvel, e a Even.

    Diante de indícios de reação econômica, há a expectativa de ampliação na produção mundial de petróleo pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), que deve se reunir virtualmente na quarta-feira. As cotações do petróleo cedem esta manhã no exterior, recuo que pode pesar nos papéis da Petrobras, que ainda amarga a informação de suspensão da venda de um lote de gasolina de aviação importada, após testes apontarem adulteração.

    Às 11h03, o Ibovespa subia 0,35%, aos 100.377,70 pontos. Para William Teixeira, head e especialista em ações da Messem Investimentos, os resultados dos indicadores que sairão esta semana em várias partes do globo e os balanços nos EUA é que definirão o rumo do índice. Por ora, diz, os 100 mil ainda não são sustentáveis. "Temos de ver como será o desempenho dos balanços do segundo trimestre no Brasil. A expectativa boa é que os números deverão vir ruins por captarem o período todo do isolamento social mais agudo, mas as empresas poderão informar perspectivas melhores."

    Gostou desta matéria? Compartilhe!
    TNTV
    TNTV

    Como reestruturar e garantir a sobrevivência do meu negócio?

    Deixe seu comentário sobre: "Bom humor externo impulsiona Ibovespa, mas fator político fica no radar"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.