Bolsas de NY fecham sem sinal único, com setor de tecnologia e Boeing - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Economia

Bolsas de NY fecham sem sinal único, com setor de tecnologia e Boeing

Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

As bolsas de Nova York fecharam o pregão desta quarta-feira, 11, sem direção única, ainda influenciadas pelo ajuste de posições relacionado à melhora das perspectivas para uma vacina contra a covid-19. Por um lado, as ações de empresas de tecnologia, que haviam sido pressionadas nos últimos dias, recuperaram parte das perdas e impulsionaram os índices acionários Nasdaq e S&P 500. De outro, papéis mais ligados a uma retomada da economia, como o da Boeing, que tinham se valorizado, devolveram alguns ganhos e pressionaram o Dow Jones.

No fechamento, o Dow Jones registrou queda de 0,08%, a 29.397,63 pontos, o S&P 500 avançou 0,77%, a 3.572,66 pontos, e o Nasdaq subiu 2,01%, para 11.786,43 pontos.

Novas notícias sobre vacinas experimentais contra a covid-19 surgiram nesta quarta. A Pfizer e a BioNTech confirmaram um acordo para fornecer até 300 milhões de doses de vacina à União Europeia. Segundo dados divulgados na segunda-feira, 9, o imunizante desenvolvido pelas duas farmacêuticas apresentou eficácia de 90%.

A Rússia, por sua vez, anunciou que sua vacina experimental para o coronavírus, conhecida como Sputnik V, produziu resultados similares, com 92% de eficácia. De acordo com a Reuters, dados sobre o imunizante da Moderna também devem sair neste mês. O papel da farmacêutica subiu 8,40%.

No entanto, ações de empresas que se beneficiariam de uma retomada econômica maior, como as do setor de aviação, devolveram alguns ganhos que haviam acumulado na esteira do anúncio da Pfizer e da BioNTech. No S&P 500, os subíndices de materiais (-1,37%), industrial (-0,88%) e de energia (-0,84%) lideraram as perdas. O papel da Boeing, por sua vez, recuou 3,47%.

O setor de tecnologia, por outro lado, subiu 2,41% no S&P 500. As ações da Apple, da Amazon e do Facebook avançaram 3,04%, 3,37% e 1,49%, respectivamente. Essas empresas foram penalizadas pelos investidores nos últimos dias, já que haviam sido as mais favorecidas pelo confinamento gerado pela pandemia.

Com a perspectiva da vacina, o Goldman Sachs passou a projetar que o S&P 500 chegue a 3.700 pontos no final de 2020. Outro banco americano, o JPMorgan, já havia alterado suas estimativas, passando a prever que o índice acionário alcançará os 4.000 pontos no início de 2021.

Em Washington, os investidores continuam acompanhando a transição de governo, embora o presidente dos EUA, Donald Trump, ainda não tenha reconhecido a derrota na eleição para o presidente eleito, Joe Biden.

"Por enquanto, os mercados estão satisfeitos em ignorar o teatro de Washington, mas quanto mais tempo o impasse durar, maior será a chance de uma verdadeira crise constitucional que pode começar a pesar no sentimento dos investidores", alerta o analista Boris Schlossberg, da BK Asset Management. "Combinado com o aumento da contagem de hospitalizações por covid, que podem estressar o sistema de saúde ao limite, os dois fatores podem criar uma reversão brusca na recuperação das ações conforme nos aproximamos do final do ano", acrescenta.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Bolsas de NY fecham sem sinal único, com setor de tecnologia e Boeing"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.