Economia

Bolsas de NY fecham em queda forte, com especulação de alta de 75 pb já na 4ªfeira

Letícia Simionato (via Agência Estado) · GoogleNews

Siga o TNOnline
no Google News

Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

As bolsas de Nova York fecharam em queda robusta nesta segunda-feira, em meio à deterioração do sentimento de risco. Enquanto o mercado aguarda pela decisão do Federal Reserve (Fed) na quarta-feira, crescem as perspectivas de que o BC americano pode acelerar ainda mais o ritmo de aperto monetário, sendo que alguns analistas dizem que a instituição pode surpreender ao subir juros em 75 pontos-base já no dia 15. Neste cenário, o S&P 500 fechou em bear market, ou seja, caiu 20% em relação ao último pico.

continua após publicidade

No fechamento, o índice Dow Jones caiu 2,79%, a 30.516,74 pontos, o S&P 500 perdeu 3,88%, a 3.749,63 pontos, e o Nasdaq recuou 4,68%, a 10.809,23 pontos. Entre os destaques negativos, estão os papéis de aéreas, como American Airlines (-9,45%), Delta Air Lines (-8,29%) e Boeing (-8,77%). Petroleiras também tiveram quedas robustas, com Chevron (-4,60%) e Occidental Petroleum (-6,33%).

O Barclays afirma que, após a inflação "elevada de modo chocante" de maio nos Estados Unidos, o Fed deve elevar os juros em 75 pontos nesta quarta-feira. Antes do dado da sexta-feira, o banco projetava alta de 50 pontos-base. Com isso, o Barclays diz agora que a taxa de juros no fim do ciclo de aperto deve estar na faixa entre 3,00% e 3,25%, no início de 2023.

continua após publicidade

De acordo com reportagem do The Wall Street Journal, uma série de relatórios preocupantes de inflação nos últimos dias deve levar as autoridades do Fed a considerar o aumento de 75 pb. "O presidente do Fed, Jerome Powell, evitou surpreender os mercados no dia das reuniões de política, argumentando em vez disso que o banco central pode atingir seus objetivos de apertar a política moldando as expectativas do mercado. Mas ele também disse em uma entrevista no mês passado que o Fed seria guiado pelos dados econômicos que estão por vir", diz o texto.

Para o Citi, talvez a maior questão para a reunião de quarta seja como Powell reage aos novos preços de mercado. "Wall Street está enfrentando uma infinidade de manchetes negativas, mas o problema é que, até que vejamos uma deterioração nas condições de crédito e no funcionamento do mercado, o Fed tem luz verde para apertar o máximo possível para manter a inflação sob controle", destaca Edward Moya, da Oanda. Moya ainda prevê que, se Wall Street começar a precificar um aperto muito mais agressivo do Fed, as vendas técnicas podem arrastar o S&P 500 para o nível 3,5 mil.