Economia

Bolsas de NY fecham em queda, com recuo em tech e comunicação e PMIs no radar

Ilana Cardial* (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

As bolsas de Nova York fecharam em queda nesta sexta-feira, 22. O resultado trimestral decepcionante da Snap provocou queda de 40% em suas ações, acompanhada por recuo em outros papéis de comunicação e tecnologia. Dados fracos de índices de gerentes de compras (PMIs) nos Estados Unidos, Reino Unido e zona do euro renovaram as preocupações sobre o risco de recessão econômica.

continua após publicidade

No fechamento, o Dow Jones caiu 0,43%, a 31.899,29 pontos, o S&P 500 recuou 0,93%, a 3.961,63 pontos, e o Nasdaq perdeu 1,87%, a 11.834,11 pontos.

A Snap (-39,08%) informou prejuízo líquido de US$ 422 milhões no segundo trimestre de 2022, com resultados abaixo da expectativa de analistas. O Twitter (+0,81%) também reportou prejuízo, de US$ 270 milhões no mesmo período. Ambas as empresas culparam em parte os "ventos contrários" do setor de publicidade, o que acabou renovando as preocupações de uma desaceleração mais ampla no mercado de anúncios online, já que seus maiores participantes estão se preparando para divulgar o relatório na próxima semana.

continua após publicidade

Assim, Meta (-7,59%), Alphabet (-5,63%), Amazon (-1,77%), Microsoft (-1,69%), Netflix (-1,54%) e Apple (-0,81%) também fecharam no vermelho.

O resultado da Verizon também decepcionou o mercado, com lucro e receita estagnados, e os papéis caíram 6,74%. Na contramão, a American Express subiu 1,88%, com resultados acima das expectativas.

Entre indicadores, o destaque ficou com a queda de PMIs. O PMI composto de julho sinalizou contração na zona do euro e atingiu os níveis mais baixos em 17 e 26 meses no Reino Unido e Estados Unidos, respectivamente.

continua após publicidade

A Capital Economics diz duvidar que as contínuas notícias ruins sobre a economia americana tenham reflexo positivo sobre as ações, o que parece ter sido o caso recentemente, em sua avaliação. A consultoria espera que os preços de papéis caiam no restante do ano. A projeção principal é que o crescimento economico americano permaneça fraco, mas não o suficiente para deter o Federal Reserve (Fed) de elevar os juros básicos de forma agressiva ainda em 2022. "Tal ação provavelmente significaria alta nas taxas de descontos e crescimento frustrante nos lucros de companhias, o que seria uma combinação bastante tóxica para os preços das ações."

*Com informações da Dow Jones Newswires.