Economia

Bolsas de NY fecham em baixa forte, com ações pressionadas após CPI dos EUA

Da Redação ·

Os mercados acionários de Nova York tiveram pregão negativo, nesta quinta-feira, 10, com os índices renovando mínimas na reta final do dia. O fato de que a inflação ao consumidor dos Estados Unidos veio acima da expectativa reforçou apostas de elevação de juros, o que tende a pressionar os papéis. O Dow Jones chegou a reduzir perdas e oscilar em leve alta, mas por fim o quadro de baixas prevaleceu.

continua após publicidade

O índice Dow Jones fechou em queda de 1,47%, em 35.241,59 pontos, o S&P 500 recuou 1,81%, a 4.504,08 pontos, e o Nasdaq caiu 2,10%, a 14.185,64 pontos.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA subiu 0,6% em janeiro ante dezembro, com alta anual de 7,5%. Os números vieram acima do esperado e ampliaram apostas de aperto monetário nos EUA. Segundo monitoramento do CME Group, aumentaram as apostas de alta de 50 pontos-base nos juros já em março - até ontem a expectativa majoritária era de elevação de 25 pontos-base. Vários bancos e consultorias, como o Citi, passaram a prever maior aperto monetário após o dado.

continua após publicidade

Juros mais altos pressionam especialmente alguns setores, como o de tecnologia, com empresas que em geral dependem de empréstimos para manter seu ritmo de crescimento. Esse setor esteve entre as maiores quedas hoje, com Apple em baixa de 2,36% e Microsoft, de 2,84%.

O movimento dos juros pode beneficiar os bancos, mas o setor financeiro também sucumbiu hoje. Citigroup fechou em queda de 0,50%, JPMorgan caiu 0,42% e Goldman Sachs, 1,06%. Já a ação da Boeing, na contramão da maioria, subiu 1,34%. Após balanço, Disney avançou 3,35%. Uber, por outro lado, caiu 6,07%, também depois de publicar resultados.