Economia

Bolsas de NY fecham em baixa, com incertezas por economia global, Fed e balanços

Da Redação ·

As bolsas de Nova York fecharam em forte baixa nesta terça-feira, 26, em uma sessão na qual as incertezas com a economia global e a postura de aperto do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) se somaram à publicação de balanços que deram indicações de como o quadro adverso vem refletindo nas empresas. O setor de tecnologia teve algumas das companhias mais prejudicadas, o que pressionou o Nasdaq e colocou o índice em território de bear market, com uma queda superior a 20% com relação à máxima recente, que ocorreu em novembro de 2021.

continua após publicidade

No fechamento, o Dow Jones caiu 2,38%, a 33.240,18 pontos, o S&P 500 teve queda de 2,81%, a 4.175,20 pontos, e o Nasdaq recuou 3,95%, a 12.490,74 pontos, em sua maior queda diária desde 3 de fevereiro.

As ações estão caindo conforme Wall Street abandona as empresas de tecnologia antes dos balanços das techs nesta semana e à medida que os temores de desaceleração global permanecem próximos, aponta Edward Moya, analista da Oanda.

continua após publicidade

A avaliação destaca as preocupações de que a agressividade do Fed não vão embora, já que a inflação não vai diminuir tão cedo, "pois as manchetes russas sugerem que a guerra na Ucrânia pode sofrer novas escaladas". Enquanto o conflito prossegue no terreno, a Polônia confirmou nesta terça o corte do fornecimento de gás russo ao país.

Moya avalia que não foi um bom começo para a temporada de balanços. A GE caiu acentuadamente, pois sua orientação para o ano inteiro estava no limite inferior, recuando 10,34%, enquanto a Pepsico apresentou resultados fortes e elevou sua orientação, mas as ações não conseguiram se livrar do tema de risco que atinge os mercados nesta terça, e tiveram queda de 0,25%. A 3M apresentou melhora sequencial de margem, mas teve um início lento em abril e teve que reduzir suas perspectivas para o ano, caindo 2,95%.

"O retrato dos lucros da manhã mostrou que os aumentos de preços estão pesando sobre as empresas e os custos estão sendo repassados ao consumidor", resume o analista. Com resultados marcados para serem divulgados depois do fechamento do mercado, Alphabet (-3,59%), Microsoft (-3,74%), Visa (-4,22%) e General Motors (-4,54%) recuaram com a expectativa.

Já a Tesla tombou 12,18%, seguindo o anúncio da compra pelo CEO da empresa, Elon Musk, do Twitter, enquanto investidores mostram algum receio com a aquisição, que custará cerca de US$ 44 bilhões. A rede social teve queda de 3,91%.