Economia

Bolsas de NY fecham em alta, impulsionadas por techs

Da Redação ·

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta segunda-feira, com as atenções do mercado voltadas às perspectivas de retomada da economia global, aos dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) e a criptomoedas, em especial à recuperação de parte das perdas do bitcoin. As ações de tecnologia foram destaque de valorização, acompanhadas por petroleiras, que avançaram na esteira dos ganhos do petróleo.

continua após publicidade

O índice Dow Jones avançou 0,54%, em 34.393,98 pontos, o S&P 500 subiu 0,99%, a 4.197,05 pontos, e o Nasdaq teve alta de 1,41%, a 13.661,17 pontos.

Com a alta inflacionária e sua duração como alvo de preocupação do mercado, sinalizações no tema foram monitoradas. Entre os dirigentes do Fed, a integrante do conselho Lael Brainard reafirmou o posicionamento da maioria de que preços devem subir nos próximos meses, mas de forma controlada. O presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, se pronunciou de forma parecida, indicando que o tema poderá ser observado de forma mais clara no verão do Hemisfério Norte.

continua após publicidade

A expectativa de um fortalecimento da economia global também beneficiou os mercados acionários nesta segunda-feira. Diante do avanço da vacinação contra a covid-19 no mundo, a IHS Markit elevou a sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial neste ano em 0,4 ponto porcentual, para 5,7%. Esse resultado representaria o maior avanço da atividade econômica desde 1973.

Projetando avanço nos rendimentos dos títulos públicos globais, com destaque para os Treasuries, e uma forte recuperação da economia, a Capital Economics aponta que isso aumentará o "apelo relativo das ações de valor, dado que o crescimento de seus ganhos depende mais da força cíclica da economia". O termo se refere a setores como o financeiro e o de energia. No caso das ações de tecnologia, "expectativas elevadas podem continuar a ser um obstáculo para muitas empresas do setor", tendo em vista o "desempenho elevado durante a pandemia", aponta a consultoria britânica.

A Tesla, uma das empresas mais atreladas à volatilidade das criptomoedas, em especial devido à aquisição e anúncios sobre aceitação de bitcoin para compras de seus produtos, teve alta nesta segunda-feira de 4,40%. Facebook (+2,66%), Apple (+1,33%), Alphabet (+2,92%), que controla a Google, subiram. A Amazon teve alta de 1,31%, em sessão que contou com a notícia publicada pelo Wall Street Journal de que a empresa deverá adquirir o estúdio MGM por cerca de US$ 9 bilhões. Já a Moderna avançou 1,68%, após anunciar no último sábado que fechou contrato com a Samsung Biologics para produção de vacinas contra a covid-19.

Com questionamentos sobre um acerto nuclear com o Irã impulsionando os preços do petróleo, ações do setor tiveram alta. As petroleiras Chevron (+1,42%) e ExxonMobil (+1,19%) subiram.