Economia

Bolsas de NY fecham em alta, em sessão volátil, com payroll e guerra da Ucrânia

Da Redação ·

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta sexta, 1º, em uma sessão volátil, na qual o payroll de março nos Estados Unidos ter apresentando uma queda no desemprego no país e avanço nas contratações. Além disso, as tensões pela guerra na Ucrânia seguiram observadas, enquanto consumidores buscam alternativas para reduzir os preços do petróleo, um dos grandes responsáveis pela alta da inflação, e que foram impulsionados pelo conflito. Na comparação semanal, os índices não tiveram sinal único.

continua após publicidade

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,40%, em 34.818,27 pontos, o S&P 500 subiu 0,34%, para 4.545,86 pontos, e o Nasdaq avançou 0,29%, a 14.261,50 pontos. Na semana, houve queda de 0,12% e altas de 0,06% e 0,65%, respectivamente.

Na avaliação de Edward Moya, analista da Oanda, as ações dos EUA tiveram um início de trimestre "sem brilho" após um impressionante relatório de folha de pagamento não-agrícola e um relatório da indústria do Instituto para Gestão da Oferta (ISM) suave. O payroll de março apresentou criação de 431 mil vagas e recuo na taxa de desemprego, a 3,6%. Já o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial medido pelo ISM recuou de 58,6 em fevereiro a 57,1 em março. Analistas previam alta a 59,0.

continua após publicidade

Sobre o payroll, a Capital Economics acredita que o indicador é mais um sinal de que a economia mostra bastante impulso, mas houve também sinalizações de que a força de trabalho avança mais rápido, o que pode significar que o crescimento no salário pode ter atingido seu pico. Nesse quadro, a consultoria acredita que o Federal Reserve (Fed) terá menor pressão para fazer um ciclo agressivo de aperto monetário. Para Moya, o ISM mostrou que a inflação está ficando pior e a atividade está diminuindo à medida que os problemas da cadeia de suprimentos persistem. "As pressões inflacionárias podem em breve levar à destruição da demanda, então pode ser difícil ver as ações otimistas conforme o consumidor dos EUA começa a drenar suas economias", avalia.

No campo da guerra, um suposto ataque ucraniano a um depósito de combustíveis em território russo pode dificultar as negociações. Após os EUA anunciarem liberação de 1 milhão de barris por dia (bpd) de suas reservas por seis meses, a Agência Internacional de Energia (AIE) informou que houve um acordo entre seus 31 membros para uma nova liberação de reservas de petróleo. Petroleiras tiveram uma sessão de alta, incluindo Occidental Petroleum (+2,40%), Chevron (+0,85%) e ExxonMobil (+0,64%).