Economia

Bolsas de NY fecham em alta e índices renovam recorde

Da Redação ·

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quinta-feira, 17, e os três principais índices acionários renovaram recorde histórico de fechamento, em meio aos avanços nas negociações por uma nova rodada de estímulos fiscais nos Estados Unidos.

continua após publicidade

O Dow Jones encerrou com ganho de 0,49%, a 30.303,07 pontos. O S&P 500 subiu 0,58%, a 3.722,48 pontos. O Nasdaq ganhou 0,84%, a 12.764,75 pontos.

O site americano Politico informou que os líderes da maioria no Senado dos EUA, Mitch McConnell, do Partido Republicano, e da minoria, Chuck Schumer, do Democrata, declararam que o pacote fiscal está próximo de ser fechado. A ajuda pode chegar a US$ 900 bilhões e será direcionada aos setores mais atingidos pela crise decorrente da covid-19.

continua após publicidade

As perspectivas pela legislação de alívio econômico forneceram suporte aos negócios hoje, um dia após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) adotar tom dovish em decisão de política monetária. Sem muitas surpresas, a instituição manteve a taxa básica de juros na faixa atual (entre 0% e 0,25%) e se comprometeu a continuar comprando ativos enquanto "até que haja progressos substanciais em direção aos objetivos do comitê para a inflação e a estabilidade de preços".

Para a Capital Economics, o BC da maior potência econômica do planeta demonstrou disposição em manter o relaxamento das condições por um longo tempo. "A mensagem principal ainda é que a política permanecerá excepcionalmente acomodatícia - com taxas próximas de zero e compras de ativos - continuando por mais vários anos", avalia a consultoria.

Entre as ações em destaque em Wall Street no pregão de hoje, a do Twitter avançou 1,11%, com anúncio de que a rede social descontinuará os serviços do Periscope.

Na contramão das demais techs, o papel da Alphabet, que controla Google, caiu 0,95%, após um grupo de 38 procuradores-gerais de estados americanos anunciar abertura de ação judicial contra a gigante do Vale do Silício por supostas práticas anticompetitivas.