Economia

Bolsas de NY fecham em alta, com recuperação de apetite por risco com sinalizações da Ucrânia

Da Redação ·

As bolsas de Nova York fecharam com ganhos nesta quarta-feira, 9, em sessão na qual o apetite por risco foi recuperado, movimento em grande parte inspirado por sinalizações ucranianas de que possa haver um caminho diplomático para um acordo com a Rússia sobre o conflito no país. Apesar dos temores pelas repercussões da guerra, incluindo pressões inflacionárias pela alta das commodities, analistas consideram que o mercado acionário americano mostra resiliência em meio ao conflito.

continua após publicidade

O índice Dow Jones subiu 2,00%, a 33.286,25 pontos, o S&P 500 ganhou 2,57%, a 4.277,88 pontos, e o Nasdaq teve alta de 3,59%, a 13.255,55 pontos.

Na visão de Edward Moya, analista da Oanda, as ações se recuperam, depois de duas semanas desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, com os traders "um pouco otimistas de que um acordo poderia acontecer". O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, deu sinalizações de que pode ceder concessões a Moscou, incluindo uma desistência da entrada na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Para Moya, o S&P 500 foi capaz de se defender das baixas iniciais que atingiram os mercados, com muitos investidores precificando um ciclo de aperto menos agressivo pelo Federal Reserve (Fed).

continua após publicidade

A Capital Economics reforça a avaliação, e projeta que os índices provavelmente conseguirão obter pequenos ganhos ao longo do resto do ano, "embora existam claros riscos de queda". A consultoria lembra que o S&P 500 praticamente não sofreu perdas desde a invasão da Ucrânia. Como justificativa, a Capital aponta a possibilidade de que, apesar das sanções e interrupções nos mercados de commodities, as expectativas de lucros para as empresas do S&P 500 provavelmente não caíram muito. Além disso, a consultoria avalia que o impacto econômico da guerra na economia dos EUA, embora negativo, será relativamente pequeno.

Com o petróleo caindo mais de 10% seguindo as notícias sobre o conflito, as ações de empresa do setor foram pressionadas. ExxonMobil (-5,68%), Chevron (-2,50%), ConocoPhillips (-2,62%) recuaram. Por outro lado, ações de tecnologia e serviços de comunicação tiveram fortes ganhos, e ajudaram a impulsionar os índices. Meta (+4,31%), Apple (+3,50%), Alphabet (+2,40%), Microsoft (+4,59%) e Netflix (+4,98%) avançaram em bloco.