Economia

Bolsas de NY fecham em alta, com menor temor pela variante Ômicron

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

As bolsas de Nova York fecharam em alta, com as preocupações em torno da variante Ômicron do coronavírus cedendo espaço para a busca por barganhas, após quedas acumuladas nos últimos dias. Setores mais ligados ao quadro pandêmico, com aéreas e petroleiras, tiveram ganhos importantes.

continua após publicidade

O índice Dow Jones subiu 1,87%, a 35227,03 pontos, o S&P 500 avançou 1,17%, a 4591,67 pontos, e o Nasdaq teve alta de 0,93%, a 15225,15 pontos.

Sobre a Ômicron, o Goldman Sachs destaca que do "lado mais tranquilizador, a concentração de infecções recentes entre os grupos mais jovens e menos vacinados sugere pelo menos alguma imunidade da vacina contra infecções". Além disso, segundo o banco, a maioria dos especialistas prevê uma proteção vacinal significativa contra hospitalização, especialmente após reforços, enquanto a gravidade da doença condicionada ao estado de vacinação parece semelhante ao da variante delta ou mais benigna.

continua após publicidade

A percepção corrobora as falas de Anthony Fauci, o principal assessor da Casa Branca sobre temas relacionados à pandemia, ontem à CNN. Segundo ele, os sinais até agora são "encorajadores", e a maioria dos casos indica que as pessoas apresentam sintomas leves. Neste cenário, aéreas dispararam, com alta de American Airlines (+7,88%), Delta Air Lines (+6,00%) e United Airlines (+8,32%). Também ligadas a viagens, Airbnb (+8,46%) e Booking (+5,34%) avançaram. O avanço nos preços do petróleo contribuiu para os ganhos e petroleiras como Chevron (+1,56%), ExxonMobil (+1,13%), Occidental Petroleum (+2,33%) e ConocoPhillips (+2,39%).

Depois de tombar mais de 20% na última sessão seguindo o anúncio de que deixará Nova York, as ações da Didi subiram quase 10% hoje. As disputas entre EUA e China ganharam mais um contorno hoje, com a confirmação oficial do boicote diplomático de Washington à Olimpíada de inverno de Pequim em 2022 por alegações de violações de direitos humanos.

Outra alvo de atenção, a recente queda das criptomoedas pesou nos papéis da Coinbase, que caíram 0,91%.

As ações de empresas intensivas em tecnologia, que pela manhã sofreram com o avanço dos juros dos Treasuries, se recuperaram durante o pregão e fecharam em alta, com destaque para Meta (+3,59%), Apple (+2,15%), Intel (+3,53%) e Twitter (+5,70%).