Economia

Bolsas de NY fecham em alta, com decisão do Fed e Powell descartando aperto maior

Da Redação ·

Os mercados acionários de Nova York fecharam em alta nesta quarta-feira, depois de operarem voláteis durante a tarde. Os índices foram impulsionadas pela decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), em linha com o esperado pelo mercado, e por sinalizações do presidente da instituição, Jerome Powell, de que uma alta de 75 pontos-base é improvável no momento.

continua após publicidade

O índice Dow Jones fechou em alta de 2,81%, em 34.061,06 pontos, o S&P 500 avançou 2,99%, a 4.300,17 pontos, e o Nasdaq subiu 3,19%, a 12.964,86 pontos.

As bolsas, que já registravam alta, ganharam força após a divulgação do aumento da taxa básica de juros em 50 pontos-base, para a faixa entre 0,75% e 1,00% ao ano, e anúncio do início do aperto quantitativo em junho, em linha com o esperado pelo mercado.

continua após publicidade

Para a Stifel, o anúncio da política em si "não foi digno de nota". "A questão maior permanece para o caminho futuro da política, tanto em número quanto em tamanho de aumentos adicionais de taxas", diz, em relatório enviado a clientes.

Com a coletiva de Powell, os índices aceleraram altas. Ele afirmou que subir o juro em 75 pontos-base não é algo que o Fomc está "ativamente considerando" por enquanto. Para o Commerzbank, a coletiva de imprensa de Powell destacou que combater a alta inflação é a principal prioridade da autoridade.

"Embora não acreditássemos que o Fed aumentaria as taxas em incrementos de 75 pontos-base, se o Fed quiser 'agilizar' as políticas e as condições financeiras, questionamos se Powell deveria ter removido a especulação de aumentos de 75 pontos nas próximas reuniões. Talvez ele esteja tentando enfiar a agulha para alcançar um "aterrissagem suave", evitando um aperto excessivamente rápido nas condições financeiras", diz a Oxford Economics.

continua após publicidade

A ferramenta do CME Group que monitora a expectativa para a taxa de juros básica dos EUA aponta para uma probabilidade de 74,1% de que o Fed aumente o juro em 75 pontos-base na sua reunião de política monetária marcada para junho. Antes da decisão de política monetária desta quarta e dos comentários do presidente do Fed, Jerome Powell, essas apostas estavam em 97,9%.

Entre os destaques de ações estiveram os bancos, com Goldman Sachs em alta de 3,00%, JPMorgan de 3,31% e Citigroup, de 4,25%. O setor de energia também foi destaque, em dia de ganhos fortes para o petróleo, com Chevron em alta de 3,14%, ExxonMobil de 3,98% e ConocoPhilips, de 4,98%. Entre outros papéis importantes, Apple subiu 4,10%, Amazon subiu 1,35% e Microsoft, 2,91%. Meta ganhou 5,37% e Boeing, 2,21%.