Economia

Bolsas de NY fecham em alta, com compra do Twitter por Musk

Da Redação ·

Depois de uma sessão volátil, as bolsas de Nova York se firmaram em alta próximo ao horário de fechamento e registraram ganhos nesta segunda-feira, 25. O movimento se deu na esteira da notícia de que o Twitter aceitou a proposta de compra por Elon Musk, o que impulsionou os índices acionários, apesar dos temores sobre o impacto econômico das restrições contra a covid-19 na China. A temporada de balanços também segue no radar.

continua após publicidade

No fechamento, o Dow Jones subiu 0,70%, a 34.049,46 pontos, o S&P 500 teve alta de 0,57%, a 4.296,12 pontos, e o Nasdaq avançou 1,29%, a 13.004,85 pontos.

O Twitter aceitou hoje a proposta do CEO da Tesla, Elon Musk, para a venda da empresa por US$ 54,20 a ação. A transação custa cerca de US$ 44 bilhões e os papéis da empresa saltaram 5,66% nesta sessão. Analista da Oanda, Edward Moya aponta que as ações da empresa fecharam abaixo do valor da proposta, dada a preocupação por alguns investidores de que o acordo não será fechado. Além disso, acionistas da Tesla (-0,70%) devem não estar contentes, uma vez que esta será mais uma distração para Musk na corrida por veículos elétricos.

continua após publicidade

Moya destaca ainda a pressão sobre as ações no início da sessão, com a reafirmação pela China de sua política zero covid. Distritos em Pequim contarão com testagem em massa para covid-19, o que foi apontado pela Casa Branca como possível "prelúdio" para lockdowns, como o de Xangai. "Wall Street não se sentirá confiante comprando ações de forma agressiva até que o Federal Reserve (Fed) mostre sinais de que pode aproveitar os intervalos no aperto ainda este ano", opina. A decisão no Fed se dará na próxima quarta-feira, 4 de maio.

A Capital Economics diz não esperar que o S&P 500 se recupere logo de sua queda de mais de 11% desde o início do ano. Isso porque os juros dos Treasuries devem subir ainda mais e há espaço para frustração pelos rendimentos de companhias americanas. A expectativa de 4.600 pontos pelo S&P 500 ao fim deste ano, feita anteriormente pela consultoria, "talvez seja um pouco otimista".

No resultado divulgado hoje, porém, a Coca-Cola superou a expectativa de lucro líquido feita pelo mercado, com US$ 2,78 bilhões registrados no primeiro trimestre deste ano. As ações subiram 1,06%.

À espera de balanços trimestrais das big techs, os papéis da Meta (+1,56%), Apple (+0,67%), Amazon (+1,19%), Microsoft (+2,44%) e Alphabet (+2,87%) também subiram.