Economia

Bolsas de NY fecham em alta, com ajustes após as fortes perdas da semana passada

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

As bolsas de Nova York fecharam em alta, recuperando parte das fortes quedas da última sexta-feira. Os impactos da variante Ômicron do coronavírus seguem sendo observados, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, descartou nesta segunda-feira, 29, lockdowns no país, sugerindo que a vacinação será o suficiente para conter o avanço da cepa. Por sua vez, a cautela persiste para alguns setores, acompanhando o registro da variante em cada vez mais países e potenciais restrições de viagens, o que pressionou as ações de companhias aéreas por mais um dia.

continua após publicidade

O Dow Jones fechou em alta de 0,67%, a 35135,94 pontos, o S&P 500 avançou 1,32%, a 4655,27 pontos, enquanto o Nasdaq teve alta de 1,88%, aos 15782,83 pontos.

O grande tema da sessão foi como a Ômicron deverá impactar a atividade global. Em relatório, a Oxford Economics avalia que em um cenário mais ameno, se a variante se tornar dominante mas provar causar danos menos graves à saúde do que a cepa delta, "quaisquer efeitos negativos de curto prazo poderiam ser revertidos rapidamente e poderia até mesmo reduzir a escala de cicatrizes econômicas no médio prazo". Depois de tombarem na última sexta-feira, as aéreas tiveram dificuldade para se recuperar, com American Airlines (-0,06%) e Delta Air Lines (-0,38%) fechando no vermelho.

continua após publicidade

Entre as farmacêuticas, a Moderna disparou 11,80% de olho nas perspectivas pandêmicas. Já a Pfizer recuou 2,96%, depois da forte alta na última sessão. A Merck caiu 5,39%, ainda repercutindo a notícia de que seu tratamento para a covid-19 é menos efetivo do que era indicado anteriormente.

Ações ligadas a consumo tiveram importantes altas, em dia no qual o varejo na internet foi destaque por conta da Black Friday. Os papéis da Amazon subiram 1,63%. Facebook (+1,47%), Microsoft (+2,11%) e Alphabet (+2,35%), que controla a Google, foram outros avanços notórios. A Tesla subiu 5,09%, seguindo relatos de que a empresa abrirá uma fabrica na Alemanha. Já o Twitter seguiu na contramão e caiu 2,74%, em dia marcado pela notícia de que Jack Dorsey deixará o cargo de executivo-chefe da empresa.

As aguardadas falas do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, tiveram impacto limitado para os mercados, centrando-se em afirmações sobre sistemas de pagamento.