Economia

Bolsas da Europa fecham sem sinal único, com Brexit, covid e vacinas no radar

Da Redação ·

Os mercados acionários europeus não tiveram sinal único nesta terça-feira, 8, sem muito impulso. No início do dia, o quadro geral foi negativo, com investidores cautelosos diante das dificuldades na negociação de um acordo comercial entre Reino Unido e União Europeia no Brexit, bem como ante o avanço da covid-19 pelo mundo. Mais adiante, houve divulgação de avanços no diálogo entre Londres e Bruxelas e o petróleo ganhou algum fôlego, o que apoiou melhora parcial nas bolsas.

continua após publicidade

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,20%, em 393,64 pontos.

A UE e o Reino Unido anunciaram um entendimento preliminar entre as partes hoje, para o acordo que pode começar a vigorar em 2021. Ainda não há detalhes sobre o tema e a Eurasia manteve as chances de um acordo comercial em 60%. A consultoria vê pessimismo no governo britânico, mas destaca o fato de que o premiê Boris Johnson irá a Bruxelas nesta semana, o que reforça a expectativa de uma solução para o impasse.

continua após publicidade

A covid-19 também seguiu no radar. O Reino Unido afirmou que espera aprovação da vacina da Universidade Oxford, em parceria com a AstraZeneca, nas próximas semanas. Hoje, a ação da empresa subiu 0,78% em Londres, ganhando fôlego na reta final, após a AstraZeneca dizer que seus dados revisados confirmam a eficácia de seu imunizante contra o novo coronavírus.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 0,05%, em 6.558,82 pontos.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,06%, para 13.278,49 pontos. Na agenda de indicadores, o índice ZEW de expectativas econômicas na Alemanha subiu a 55 em dezembro, bem acima da previsão de 36,0 dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. Para a Oxford Economics, o dado alemão foi sinal de otimismo entre investidores para o próximo ano. Em toda a zona do euro, o Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre cresceu 12,5% ante o trimestre anterior, com contração de 4,3% na comparação anual.

continua após publicidade

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 recuou 0,23%, para 5.560,67 pontos. Entre os bancos franceses, BNP Paribas teve baixa de 0,49% e Société Générale, de 1,53%

Em Milão, o índice FTSE MIB caiu 0,24%, a 22.053,42 pontos. Fiat Chrysler caiu 0,42%, mas no setor de energia ENI avançou 0,26%.

O índice IBEX 35, da Bolsa de Milão, registrou queda de 0,58%, para 8.227,60 pontos. Em Lisboa, o índice PSI 20 destoou da maioria e subiu 1,18%, a 4.759,11 pontos, em dia no qual o juro do bônus de 10 anos de Portugal operou em território negativo.