Mais lidas

    Economia

    Economia

    Bolsas da Europa fecham sem direção única, com covid-19 e indicadores da China

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 17.05.2021, 14:51:00 Editado em 17.05.2021, 14:55:21
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    As bolsas europeias fecharam sem direção única nesta segunda-feira, 17. O foco de investidores esteve voltado ao recrudescimento dos casos de covid-19 na Ásia, além de preocupações relacionadas à cepa B.1617.2 do coronavírus, originada na Índia, mais transmissível em relação à primeira variante encontrada no país em 2020, segundo apontam cientistas. Indicadores econômicos da China, divulgados na noite do domingo, também ficaram no radar.

    O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,05%, aos 442,29 pontos.

    Neste fim de semana, Taiwan e Cingapura decidiram endurecer suas restrições para frear a taxa de infecções por covid-19. No Reino Unido, também pesou a possibilidade de que a cepa B.1617.2 atrase os planos de reabertura da economia local previstos pelo governo do primeiro-ministro do país, Boris Johnson. Neste cenário, o índice FTSE 100 fechou em queda de 0,15%, aos 7.032,85 pontos.

    Repercutindo a situação global da pandemia, ações de companhias ligadas ao setor aéreo caíram no geral. A Rolls-Royce Holdings, divisão da montadora inglesa que fabrica motores para a aviação civil, recuou 4,33%, na maior queda do FTSE 100.

    Em Frankfurt, a MTU Aero Engines fechou em baixa de 2,79%, contribuindo para o recuo de 0,13% do índice DAX, aos 15.396,62 pontos.

    Já em Paris, a Airbus cedeu 2,68%, enquanto o índice CAC 40 acumulou perda de 0,28%, aos 6.367,35 pontos.

    Os papéis da siderúrgica ArcelorMittal, por sua vez, subiram 1,45% em Paris, após a União Europeia e os Estados Unidos decidirem suspender temporariamente as tarifas relacionadas a uma disputa comercial em torno do aço. "Ao suspender as medidas, estamos abrindo o caminho para resolver esses problemas antes do fim do ano", afirmou o vice-presidente executivo da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis.

    Contrariando o movimento geral em Londres, ações de mineradoras se recuperaram de perdas recentes, após o minério de ferro na China subir mais de 4% nesta segunda. Entre elas, Rio Tinto (+2,28%), BHP (+1,06%) e Anglo American (+0,95%) se beneficiaram da alta da commodity.

    Ainda na China, investidores acompanharam a divulgação de indicadores que apontaram para a contínua recuperação da segunda maior economia do mundo, mas a ritmo mais lento. A produção industrial desacelerou em abril, mas superou as expectativas, assim como os investimentos em ativos fixos para o mesmo período. Já as vendas no varejo ficaram aquém do esperado no mês passado.

    Do lado positivo das praças europeias, o índice FTSE MIB, de Milão, subiu 0,39% segunda, aos 24.862,68 pontos.

    O IBEX 35, de Madri, fechou em alta de 0,11%, aos 9.155,60 pontos, apoiado pela ação da Telefónica (+3,47%), que liderou os ganhos no índice, após a companhia anunciar a venda de sua filial de logística Zeleris.

    Por fim, o índice PSI 20, de Lisboa, teve alta de 0,89%, aos 5.241,91 pontos.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "Bolsas da Europa fecham sem direção única, com covid-19 e indicadores da China"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.