Economia

Bolsas da Europa fecham mistas, com cautela por variante Ômicron e restrições

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

As bolsas da Europa fecharam mistas nesta quinta-feira, 9, após uma sessão de perdas na quarta-feira. Investidores ainda estão cautelosos com relação à variante Ômicron do coronavírus, em meio a novas restrições no continente à medida que os casos continuam a aumentar. Na quarta, o governo do Reino Unido anunciou novas restrições para tentar conter a variante, com recomendação de transição ao trabalho remoto e exigência de passaportes de vacina.

continua após publicidade

De acordo com análise do Brown Brothers Harriman, embora essas medidas sejam relativamente brandas em comparação com bloqueios anteriores, elas chegam em um momento em que Johnson e seu partido estão impopulares por uma série de razões. "As pesquisas instantâneas de ontem da Savanta ComRes e da Opinium mostraram que a maioria dos entrevistados acredita que Johnson deve renunciar", diz o banco.

Neste contexto, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,08%, aos 476,99 pontos, enquanto o londrino FTSE 100 recuou 0,22%, aos 7.321,26 pontos. Em Paris, o índice CAC 40 cedeu 0,09%, aos 7.008,23 pontos.

continua após publicidade

Ações de empresas do setor aéreo foram penalizadas pelo quadro incerto da pandemia. IAG - controladora de British Airways e Iberia - perdeu 3,32% em Londres, enquanto Air France-KLM caiu 2,14% em Paris. Ações da Rolls-Royce caíram 3,37% após sua atualização de negociação. A CMC Markets disse que, embora as coisas estejam indo na direção certa, o fabricante de motores ainda deve ficar aquém de sua meta para 2021 de horas de voo com motores grandes.

Para a TD Securities, a maioria dos países europeus não está restrigindo a circulação como no ano passado devido às altas taxas de vacinação. "Porém, reservas em restaurantes, mobilidade de varejo e recreação e níveis de incentivos estão tendendo a cair em toda a Europa - sinalizando uma atividade econômica mais lenta no futuro. Se a Ômicron for pior do que o esperado, o crescimento pode desacelerar ainda mais e pesar temporariamente sobre a inflação", conclui o banco canadense.

Investidores também estão de olho nos relatórios que sugerem que o Banco Central Europeu (BCE) irá discutir um aumento temporário em seu Programa de Compra de Ativos na reunião da próxima semana. "Acreditamos que a maioria dos funcionários do BCE relutam em remover as acomodações. No entanto, existe o risco de que não seja possível chegar a um consenso na próxima semana e a decisão possa ser adiada para a reunião de 3 de fevereiro", destaca o Brown Brothers Harriman.

continua após publicidade

Na Alemanha, a média móvel de casos diários de coronavírus ronda os 50 mil, no momento em que o novo chanceler do país, Olaf Scholz, assume o cargo. O índice DAX, de Frankfurt, recuou 0,30%, aos 15.639,26 pontos.

Em Milão, o FTSE MIB encerrou o pregão com ganhos de 0,24%, 26.817,38 pontos. As ações do banco italiano UniCredit saltaram 10,82% após a empresa dizer que planeja contratar mais funcionários e investir em digitalização.

Por fim, nas praças ibéricas, o PSI 20 fechou em alta de 0,15% em Lisboa, aos 5.521,93 pontos, e o madrilenho Ibex 35 recuou 0,93%, aos 8.399,60 pontos.