Economia

Bolsas da Europa fecham em queda, com dados fracos e feriado em Londres

Ilana Cardial (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

As bolsas europeias fecharam em queda nesta sexta-feira, com exceção de Lisboa. Em Londres, os mercados acionários seguiram fechados em meio às comemorações do Jubileu de Platina da Rainha Elizabeth II, o que limitou a liquidez na sessão. Ainda, dados macroeconômicos fracos na Europa e Estados Unidos pressionaram os índices acionários.

continua após publicidade

O SToxx 600 caiu 0,26%, a 440,09 pontos, enquanto o CAC 40, em Paris, fechou com baixa de 0,23%, a 6.485,30 pontos, e o DAX, em Frankfurt, perdeu 0,17%, a 14.460,09 pontos.

As ações na Europa acompanharam a queda de Nova York, na esteira de um relatório de empregos mais forte que o esperado em maio na maior economia do mundo. Entre outros bancos e consultorias, o Commerzbank afirma que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) está no caminho para novas altas de 50 pontos-base.

continua após publicidade

O FTSE MIB teve queda de 1,06%, a 24.166,66 pontos, em Milão, e o IBEX 35 recuou 0,22%, a 8.724,80 pontos, segundo dados preliminares, em Madri. Já em Lisboa, o PSI 20 avançou 0,53%, a 6.222,33 pontos.

Já na zona do euro, são avaliadas as implicações para o Banco Central Europeu (BCE) diante dos dados mais recentes. As vendas no varejo tiveram queda mensal de 1,3% em abril, ante expectativa de alta pro analistas.

Na avaliação do ING, o resultado representa uma "séria desaceleração" da atividade no segundo trimestre. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços, por sua vez, caiu a 56,3 - frustrando a prévia.

continua após publicidade

Mesmo assim, a Oxford Economics defende que segue intacta a percepção de que a economia local tem "crescimento descente" no segundo trimestre. Na Alemanha, o PMI de serviços caiu a 55,0 no mesmo período, também abaixo da prévia.

Quanto à guerra da Rússia na Ucrânia, a União Europeia formalizou a adoção do sexto pacote de sanções e anunciou novas medidas contra 65 entidades e indivíduos do país. Principal supervisor do BCE, Andrea Enria disse nesta sexta esperar que todos os bancos europeus deixem a Rússia "em breve", reportou a Zawya.