Economia

Bolsas da Europa fecham em forte queda, com 'pânico' nos mercados sobre Ucrânia

Da Redação ·

As bolsas da Europa fecharam em forte queda nesta quinta-feira, 24, após o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenar a invasão da Ucrânia e deflagrar bombardeios e operações terrestres em várias cidades do país. A ofensiva gerou contundentes reações de potencias ocidentais, que prometem responder com sanções contra Moscou. O principal índice da capital russa desabou mais de 30%.

continua após publicidade

O índice Stoxx 600, que reúne as principais ações da região, encerrou a sessão em baixa de 3,28%, a 438,96 pontos.

"É pânico nos mercados, pânico", escreveu Ipek Ozkardeskaya, analista sênior do Swissquote. "Neste momento, é impossível apostar em qualquer cenário. Só podemos acompanhar de perto os últimos desdobramentos e nos preparar para mais volatilidade", acrescentou.

continua após publicidade

Pouco antes da zero hora (de Brasília), Putin foi à rede nacional de televisão para informar que havia autorizado uma "operação especial militar" em Donbass, no leste ucraniano. O líder alertou que qualquer interferência de outros países na operação militar levaria a "consequências que eles nunca viram".

Logo em seguida, a imprensa relatou uma série de explosões nas maiores cidades do país, inclusive na capital Kiev. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, decidiu romper as relações diplomáticas com a Rússia e se comprometeu a resistir aos ataques.

Os líderes do G7 se reuniram de maneira emergencial e disseram que vão aplicar "severas e coordenadas" sanções econômicas e financeiras contra os russos. Reino Unido anunciou sanções econômicas contra os russos.

continua após publicidade

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ativou planos de defesa e marcou cúpula para a sexta-feira. Nos Estados Unidos, o presidente americano, Joe Biden, disse que a Rússia é a única responsável pela "morte e destruição" que o ataque causará.

Nesse ambiente, o índice Moex, da Bolsa de Moscou, desabou 33,21%, a 1.487,61 pontos, de acordo com o site da operadora do mercado.

Em Londres, o FTSE 100 recuou 3,88%, a 7.207,01 pontos, enquanto, em Frankfurt, o DAX cedeu 3,96%, a 14.052,10 pontos. No mercado britânico, a ação do Lloyds despencou 10,83%, apesar de o banco ter registrado lucro no quarto trimestre do ano passado.

continua após publicidade

O FTSE MIB, de Milão, perdeu 4,14%, a 24.879,88 pontos.

O CAC 40, de Paris, caiu 3,83%, a 6.521,05 pontos.

Em Lisboa, o PSI 20 baixou 1,52%, a 5.348,28 pontos.

O Ibex 35, de Madri, diminuiu 2,86%, a 8.198,50 pontos, de acordo com cotação preliminar.

*Com informações da Dow Jones Newswires