Economia

Bolsas da Europa fecham em baixa marcadas por ofensiva russa e autoridades

Da Redação ·

As bolsas da Europa fecharam em queda nesta terça-feira, em mais um dia de perdas enquanto os investidores acompanham os desdobramentos da guerra instaurada na Ucrânia após a invasão da Rússia. A dificuldade dos países chegarem a um acordo de cessar-fogo e as severas sanções à economia russa deixam o mercado cauteloso e mantêm o apetite por risco baixo, penalizando as ações.

continua após publicidade

O índice Stoxx 600, que reúne as principais ações da região, encerrou a sessão em baixa de 2,37%, a 442,37 pontos.

Bombardeios russos atingiram a praça central de Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, e outros alvos civis nesta terça-feira, enquanto um comboio de 64 quilômetros de tanques e outros veículos ameaçava Kiev. Autoridades ocidentais especulam que o Kremlin está tentando atrair forças ucranianas para defender Kharkiv, enquanto uma força russa maior cerca a capital do país.

continua após publicidade

Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel afirmou hoje que a Rússia comete "terrorismo geopolítico, puro e simples", com sua ação militar na Ucrânia. Durante sessão no Parlamento Europeu para discutir a crise, ele disse que a Rússia precisa "parar a guerra e voltar para casa", após o presidente Vladimir Putin lançar uma "guerra brutal na Ucrânia, sem justificativa". O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, participou virtualmente e agradeceu a "resposta unificada" da União Europeia à invasão russa e disse que ele está lutando para ser "membro igual" da Europa - ontem o líder ucraniano realizou pedido formal de adesão ao bloco, o que Moscou rejeita.

Na sessão, o Alto Representante da União Europeia (UE), Josep Borrell, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ainda pontuaram que o bloco precisa "trabalhar rápido para cancelar" sua dependência da Rússia no setor de energia.

Mas a busca por negociações diplomáticas parece continuar. A agência russa Tass informou que, segundo o site de notícias ucraniano Zerkalo Nedeli, outra rodada de negociações entre as delegações russa e ucraniana está marcada para amanhã.

continua após publicidade

A sessão de hoje também foi marcada pela divulgação de índices de gerentes de compras (PMIs, na sigla em inglês) industriais europeus, entre eles o da zona do euro, que caiu a 58,2 na leitura final de fevereiro. Já o da Alemanha baixou a 58,4 e o do Reino Unido avançou a 58,0 no mesmo período. Ainda, a Itália divulgou que seu Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 6,6% em 2021, enquanto a inflação continuou a mostrar força na Alemanha.

Em Londres, o FTSE 100 recuou 1,72%, para 7.330,20 pontos, enquanto, em Frankfurt, o DAX cedeu 3,85%, a 13.904,85 pontos, com as ações de Deutsche Bank (-7,57%) e Commerzbank (-11,20%) sendo os papéis mais negociados no dia. As bolsas de Frankfurt, Paris e Milão terminaram nas mínimas do dia.

O FTSE MIB, de Milão, perdeu 4,14%, fechando em 24.363,56 pontos, com Intesa Sanpaolo em baixa de 7,72% e Telecom Italia, de 9,05%. O CAC 40, de Paris, caiu 3,94%, a 6.396,49 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 recuou 1,17%, a 5.498,27 pontos. O Ibex 35, de Madri, por sua vez, registrou baixa de 3,43%, a 8.188,20 pontos. (*COM INFORMAÇÕES DO DOW JONES NEWSWIRES)