Economia

Bolsas da Europa fecham em alta, recuperando perdas antes de eleição francesa

Da Redação ·

Os mercados acionários da Europa registram ganhos, nesta sexta-feira, 8, mas não tiveram sinal único em toda a semana atual. Nesta sexta, houve recuperação após perdas recentes, com investidores à espera do primeiro turno presidencial na França. Além disso, a guerra na Ucrânia e seus desdobramentos, como sanções, seguiam como foco importante.

continua após publicidade

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 1,31%, em 460,97 pontos. Na comparação semanal, ele subiu 0,57%.

Nesta sexta, a União Europeia formalizou a adoção do quinto pacote de sanções contra a Rússia, em meio a acusações de crimes de guerra na Ucrânia. As medidas incluem um embargo às exportações de carvão russo e o bloqueio ao acesso de embarcações russas a portos da UE.

continua após publicidade

Para a Capital Economics, com o aperto nas medidas a Rússia fica mais perto de um default. Em entrevista coletiva, os líderes de Reino Unido e Alemanha ressaltaram a coordenação para apoiar a Ucrânia e pressionar a Rússia, lamentando relatos sobre um ataque contra refugiados em uma estação de trem no leste ucraniano e qualificando o episódio como "crimes de guerra".

No noticiário sobre a Alemanha, a Reuters reportou que o país planeja oferecer garantias de empréstimos de até 100 bilhões de euros para proteger a liquidez das empresas, durante picos de preços de energia. A inflação continua como foco importante na região, o que segundo o Goldman Sachs fará com que o Banco Central Europeu (BCE) eleve os juros em setembro e em dezembro. O banco americano diz ainda, em relatório, que a alta poderia já vir em julho.

A Oxford Economics considera que a guerra na Ucrânia dificulta ainda mais a tarefa do BCE, por puxar os preços mais para cima, com mais incerteza e riscos de baixa na atividade.

continua após publicidade

Na frente política, Emmanuel Macron tentará novo mandato, com primeiro turno neste domingo. Ele aparece à frente nas pesquisas, mas com vantagem agora modesta sobre a direitista Marine Le Pen. A Capital Economics lembra que, até algumas semanas atrás, Macron parecia caminhar para a reeleição com certa tranquilidade, mas a candidata de extrema-direita ganhou força, ainda que nas pesquisas de segundo turno o atual líder siga à frente. Para a consultoria, uma eventual vitória de Marine Le Pen causaria turbulências na economia francesa, nos mercados financeiros e na política europeia em geral.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 1,56%, em 7.669,56 pontos, terminando na máxima do dia. Na comparação semanal, ele subiu 1,75%.

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 1,46%, para 14.283,67 pontos, na semana, porém, ele recuou 1,13%.

continua após publicidade

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, registrou ganho de 1,34%, para 6.548,22 pontos, com baixa semanal de 2,04%.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB fechou em alta de 2,13%, a 8.467,40 pontos. Na semana, ele caiu 1,37%.

Em Madri, o índice Ibex 35 avançou 1,64%, a 8.606,40 pontos, com alta de 1,21% na semana.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 registrou ganho de 0,71%, a 6.106,11 pontos. Na comparação semanal, ele subiu 1,97%.