Economia

Bolsas da Europa fecham em alta, com expectativa por negociação Rússia-Ucrânia

Da Redação ·

As principais bolsas europeias fecharam em alta nesta quarta-feira, 2, diante da expectativa de uma nova rodada de negociações entre Rússia e Ucrânia. Falas de dirigentes do Banco Central Europeu (BCE) também estiveram no radar, além do avanço recorde do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês).

continua após publicidade

O índice pan-europeu Stoxx600 subiu 0,90%, a 446,33 pontos.

Em Paris, o CAC 40 teve alta de 1,59%, a 64.98,02 pontos, e o FTSE 100 avançou 1,36%, a 7.429,56 pontos, em Londres. Este foi impulsionado pelos ganhos de empresas ligadas a commodities, como a mineradora Polymetal (+18,54%) as petroleiras Shell (+4,95%) e BP +4,84%).

continua após publicidade

Os ativos no Velho Continente iniciaram o movimento de recuperação em meio a expectativas de um novo diálogo entre Rússia e Ucrânia. Autoridades russas esperam que haja uma nova reunião com os pares ucranianos ao fim desta semana, segundo fontes à Interfax.

Por outro lado, as bolsas reduziram seus ganhos após o CPI na zona do euro ter atingido o nível recorde de 5,8% em fevereiro, na base anual. O resultado superou as expectativas do mercado. A Capital Economics acredita ser "bastante provável" que a inflação na região suba a mais de 6% nsos próximos meses e termine o ano em torno de 4%, bastante abaixo da meta de 2% do BCE.

Em evento nesta quarta, o vice-presidente do BCE, Luis de Guindos, disse que a guerra no leste europeu deve ajudar a impulsionar ainda mais a inflação e reduzir o ritmo de crescimento da zona do euro nas próximas semanas. O dirigente projeta ainda que o impacto na liquidez de mercados financeiros não deve ser tão "dramático" quanto o provocado pela pandemia, em 2020.

continua após publicidade

O dirigente Philip Lane, por sua vez, disse que o BCE "monitora de perto" o conflito e que implementará as sanções que sejam decididas por membros do bloco ou pela União Europeia.

Em relatório, o BBH prevê que o próximo encontro do BCE, na próxima quinta-feira, será "muito importante". "Em vez de ser uma reunião de manutenção de posição, o banco deve aproveitar a oportunidade para comunicar ao mercado exatamente como a crise na Ucrânia pode afetar a política", esperam analistas.

Em Frankfurt, o DAX subiu 0,69%, a 14.000,11 pontos, e em Milão, o FTSE MIB teve alta de 0,70%, a 24.534,33 pontos.

Nas praças ibéricas, o PSI 20 teve alta de 0,34%, a 5.516,96 pontos, e o IBEX 35, de 1,62%, a 8.321,00 pontos, conforme dados preliminares.