Economia

Bolsas da Ásia fecham na maioria em baixa, com incertezas da guerra e inflação

Da Redação ·

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta sexta-feira, 11, em meio às incertezas da guerra na Ucrânia e temores com a persistência da inflação alta.

continua após publicidade

O índice japonês Nikkei liderou as perdas na Ásia hoje, com queda de 2,05% em Tóquio, a 25.162,78 pontos, enquanto o Hang Seng caiu 1,61% em Hong Kong, a 20.553,79 pontos, o sul-coreano Kospi cedeu 0,71% em Seul, a 2.661,28 pontos, e o Taiex registrou perda de 0,97% em Taiwan, a 17.264,74 pontos.

Na direção contrária, os mercados da China continental tiveram uma sessão positiva, impulsionados por ações do setor médico, que tende a ser favorecido por um recente aumento nos casos de infecção por covid-19 no país. O Xangai Composto subiu 0,41%, a 3.309,75 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,56%, a 2.173,14 pontos.

continua após publicidade

A predominância do mau humor na Ásia veio após uma rodada de negociações de paz entre chanceleres da Rússia e da Ucrânia terminar sem avanços ontem. Há expectativas também de que os EUA e países aliados revoguem hoje o status comercial de "nação mais favorecida" da Rússia.

A questão da inflação alta também compromete o apetite por risco. Ontem, o Banco Central Europeu (BCE) acelerou a redução de suas compras de ativos, num momento de inflação recorde e apesar da guerra na Ucrânia. Já a inflação dos EUA está no maior nível em quatro décadas, pavimentando o caminho para que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) comece a elevar juros, em reunião marcada para a próxima semana.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho hoje, com baixa de 0,94% do S&P/ASX 200 em Sydney, a 7.063,60 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires e Associated Press.