Economia

BCE espera forte crescimento da zona do euro no 3º trimestre, diz Guindos

Da Redação ·

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, disse nesta segunda-feira (4) que a variante delta do coronavírus não teve o impacto econômico que se esperava e que a instituição prevê forte crescimento da zona do euro no terceiro trimestre. Guindos ressaltou, porém, que os últimos indicadores antecedentes mostram que a expansão do bloco está em ritmo um pouco mais lento.

continua após publicidade

Guindos, que falou durante evento do Clube Empresarial ICADE, comentou também que problemas de oferta, a alta dos preços de energia e gargalos vêm prejudicando a produção manufatureira. O vice-presidente do BCE afirmou ainda que a inflação da zona do euro deve continuar acelerando nos próximos dois ou meses, mas atribuiu a maior parte do atual salto nos preços a questões técnicas, que, segundo ele, são "apenas transitórias" e deverão perder força em 2022.

Luis de Guindos disse que, se necessário, o BCE irá decidir sobre alternativas para o programa emergencial de compras de ativos, conhecido como PEPP, em dezembro. Ele também comentou que a política monetária do Banco Central Europeu seguirá acomodatícia, mas ressaltou que seu objetivo é garantir a estabilidade dos preços.