Economia

BCE deixa juros inalterados e reitera orientações de política monetária

Da Redação ·

O Banco Central Europeu (BCE) deixou inalteradas suas principais taxas de juros e reafirmou, nesta quinta-feira, as orientações de política monetária que haviam sido definidas em dezembro. Após concluir reunião periódica, o BCE anunciou que manteve a taxa de depósitos em -0,50%, a taxa de refinanciamento em 0% e a taxa de empréstimo em 0,25%.

continua após publicidade

A instituição também reiterou intenção de encerrar as aquisições no âmbito do Programa de Compra de Emergência de Pandemia (P4EPP, na sigla em inglês) no mês que vem, embora pretenda continuar reinvestindo os títulos que vencerem até pelo menos o final de 2024.

A partir do segundo trimestre deste ano, o BCE irá aumentar as compras por meio do Programa de Compra de Ativos (APP) a 40 bilhões de euros por mês. Esse valor será reduzido a 30 bilhões de euros no terceiro trimestre.

continua após publicidade

A partir de outubro, o Conselho do BCE manterá as compras mensais em 20 bilhões de euros pelo tempo que for necessário garantir a política acomodatícia. "O Conselho espera que as compras líquidas terminem pouco antes de começar a aumentar as principais taxas de juros", reforça, conforme já havia sido anunciado.

A expectativa do BC europeu é de que os juros sigam nos níveis atuais ou baixos até que a inflação atinja 2% "bem antes do final do horizonte de projeção e duradouramente pelo resto do horizonte de projeção". Segundo o BCE, isso pode levar a "períodos transitórios" de inflação moderadamente acima da meta.

A instituição ainda repetiu que o as condições especiais do programa de Operações de Financiamento Direcionado de Longo Prazo (TLTRO III) serão descontinuadas em junho deste ano. "O Conselho do BCE está pronto para ajustar todos os seus instrumentos, conforme apropriado, para garantir que a inflação se estabilize em sua meta de 2% no médio prazo", destaca.