Economia

BC divulga maiores valores encontrados no sistema de valores a receber

Da Redação ·

O Banco Central divulgou nesta sexta-feira, 1º de abril, uma planilha em que detalha os maiores valores encontrados na primeira fase do Sistema Valores a Receber (SVR), que busca devolver à população recursos "esquecidos" em instituições financeiras devido a contas encerradas com saldo disponível ou a tarifas cobradas indevidamente, por exemplo.

continua após publicidade

Conforme antecipou o diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do BC, Mauricio Moura, nesta terça-feira, 29, o maior valor encontrado foi de R$ 1,625 milhão, relativo à conta de depósito à vista e recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados.

Como o BC já havia divulgado anteriormente, a maior parte das pessoas (13,9 milhões) tinha entre R$ 0 e R$ 1,00. Na primeira fase, 27,5 milhões de CPFs foram beneficiados, mas alguns tinham mais de um valor a receber, alcançando uma quantidade, segundo o BC, de 32,6 milhões. Em volume financeiro, a primeira fase soma R$ 3,3 bilhões em recursos disponíveis. Somente 1.370 pessoas tinham um montante acima de R$ 100 mil.

continua após publicidade

O segundo maior valor liberado, de R$ 1,155 milhão, também era de um consórcio encerrado, assim como o terceiro R$ 837,9 mil. Na sequência, segundo o BC, está a quantia de R$ 609,9 mil, relativa a tributos e encargos de operações de crédito, conta de depósito à vista e conta de depósito de poupança. O quinto maior valor encontrado foi de R$ 461,5 mil derivado de cotas de capital a pagar de cooperados desligados, conta de depósito à vista e recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

Depois, aparecem R$ 454,7 mil e R$ 446,9 mil (conta de depósito à vista), R$ 324,2 mil (recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados), R$ 312,5 mil (conta de depósito à vista) e R$ 278,9 mil (conta de depósito de poupança).

Na semana passada, o BC anunciou um novo ciclo de resgate do SVR de 28 de março e 16 de abril. Na segunda fase, a partir de 2 de maio, não haverá mais necessidade de agendamento e o resgate de recursos poderá ser solicitado logo na primeira consulta. No total, o BC estima que R$ 8 bilhões podem ser liberados nas duas etapas do SVR.

Uma atualização no sistema também poderá resultar em novos valores a receber depois de maio, esclareceu a autoridade monetária. "O sistema contará com informações novas repassadas pelas instituições financeiras. Ou seja, mesmo quem já resgatou seus recursos e quem não tinha valores a receber na primeira etapa deve consultar novamente o sistema, pois os dados serão atualizados e pode haver recurso novo", disse o BC em newsletter distribuída à imprensa.