MAIS LIDAS
VER TODOS

Economia

Autonomia do BC e rigidez do arcabouço fiscal vão tranquilizar pessoas, diz Haddad

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, garantiu nesta terça-feira que não há nada que o governo planeje fazer no sentido de conter o câmbio além de "acertar a comunicação" sobre a autonomia do Banco Central e a "rigidez" do arcabouço fiscal. Haddad fez

Amanda Pupo (via Agência Estado)

·
Escrito por Amanda Pupo (via Agência Estado)
Publicado em 02.07.2024, 12:18:00 Editado em 02.07.2024, 12:23:40
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, garantiu nesta terça-feira que não há nada que o governo planeje fazer no sentido de conter o câmbio além de "acertar a comunicação" sobre a autonomia do Banco Central e a "rigidez" do arcabouço fiscal.

continua após publicidade

Haddad fez referência à declaração dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mais cedo, que, na avaliação do ministro da Fazenda, "elogiou" o arcabouço e a autonomia da autoridade monetária. Para o ministro, é esse encaminhamento que irá "tranquilizar" as pessoas.

A declaração do ministro veio em resposta aos questionamentos sobre o patamar do dólar alcançada nesta manhã, e perguntas se o governo pretendia fazer alguma intervenção ou mexer com o IOF cobrado em operações de câmbio, o que Haddad negou.

continua após publicidade

"Nossa agenda com Lula amanhã é exclusivamente agenda fiscal. Não sei de onde sai esse rumor. Aqui na Fazenda estamos trabalhando com agenda eminentemente fiscal com o presidente. O melhor a fazer para conter dólar é acertar a comunicação, tanto em relação a autonomia do Banco Central, como o presidente fez hoje de manhã, quanto em relação ao fiscal. Não vejo nada fora disso, autonomia do BC e rigidez do arcabouço fiscal, é isso que vai tranquilizar as pessoas. Questão mais de comunicação do que qualquer outra coisa", respondeu o ministro.

Mais cedo, sobre o patamar do câmbio, Lula afirmou que "alguma coisa" precisaria ser feita. "Nós temos que fazer alguma coisa. Eu não posso falar aqui o que é possível fazer, porque, se não, eu estaria alertando os meus adversários", disse o presidente.

De acordo com Haddad, na reunião com Lula programada para esta quarta-feira, 3, a ideia é apresentar propostas que assegurem o cumprimento do arcabouço fiscal em 2024, 2025 e 2026 - último ano do atual mandato do petista. O ministro não quis cravar uma data para divulgação de medidas e destacou que as equipes estão trabalhando no tema há 60 dias.

"Não estou querendo marcar data porque estamos há 60 dias trabalhando nisso. O presidente está mobilizando Planejamento, Casa Civil e Fazenda para não só elaboração do orçamento de 2025 mas como para execução orçamentária de 2024. E ele está preocupado, hoje mesmo falou disso, elogiou o arcabouço fiscal, elogiou a autonomia do BC, e é nessa linha que vamos despachar com ele amanhã. Esses rumores eu sinceramente penso que é de gente interessada Não sei de onde saem essas questões. Quando me perguntam, eu respondo no que estamos trabalhando, que é na agenda fiscal", concluiu o ministro.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Economia

Deixe seu comentário sobre: "Autonomia do BC e rigidez do arcabouço fiscal vão tranquilizar pessoas, diz Haddad"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
Compartilhe! x

Inscreva-se na nossa newsletter

Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!