Antes de promoções na AGU, TCU já havia mudado cargo de 39 servidores - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Economia

Antes de promoções na AGU, TCU já havia mudado cargo de 39 servidores

Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Uma semana antes da polêmica promoção em massa de procuradores da Advocacia-Geral da União (AGU), o Tribunal de Contas da União (TCU) promoveu 39 servidores em meio à pandemia. Uma portaria publicada no dia 15 de setembro autorizou a promoção de 4 servidores e a progressão de 35 servidores, todos da carreira de auditor federal de controle externo.

A progressão é a passagem do servidor para o nível de vencimento imediatamente superior, dentro de uma mesma classe; e a promoção é a passagem do servidor de uma classe para outra subsequente. Nos dois casos há reajuste salarial.

Um print com a portaria do TCU circulou em vários grupos de autoridades de Brasília ontem depois que a AGU teve que recuar na quinta-feira da promoção de 607 procuradores no rastro da decisão do Ministério Público junto ao TCU de pedir liminar para suspender o ato.

No pedido, o subprocurador-geral de Contas, Lucas Rocha Furtado, disse que a promoção, no caso da AGU, é "inoportuna e indecorosa" e mostra indiferença com a população mais pobre chamada a pagar a conta no momento em que, possivelmente, enfrentam as maiores dificuldades com a covid-19.

A exposição do print revela o clima de disputa entre as diversas carreiras do serviço público federal diante da pressão pública por mudanças no modelo atual do funcionalismo na reforma administrativa. Os comentários com a portaria foram de "ironia" pelo fato de ter sido o Ministério Público junto ao TCU que apresentou uma representação com pedido de liminar para a suspensão das promoções na AGU.

Para o MP-TCU, a lei 173, que congelou os salários dos servidores até 2021, também veda as promoções. A lei cita textualmente a proibição de reajustes salariais, anuênios (adicionais por cada ano trabalhado), triênios (três anos), quinquênios (cinco anos) e licenças-prêmio (licença remunerada concedida a cada cinco anos de serviço; extinta para novos servidores a partir de 1997), mas não cita exatamente promoções.

O Estadão questionou Lucas Rocha Furtado se o mesmo critério deveria ser observado em relação ao TCU e o procurador disse que sim. Furtado afirmou que pediu a inclusão das promoções no TCU no âmbito da representação que apresentou ao tribunal originalmente sobre a AGU. "É o jeito! Fundamento: pandemia!", disse.

"Entendo que a movimentação na carreira é nula de pleno direito, tendo em vista a legislação excepcional atualmente vigente em momento de calamidade pública decorrente da pandemia de covid-19", afirmou no documento. Segundo ele, a movimentação na carreira promovida pelo TCU "colide frontalmente, em face dos seus efeitos financeiros", com a Lei 173, que prevê o congelamento do funcionalismo federal, estadual e municipal até o fim de 2021.

Em nota, o TCU afirma que as promoções e progressões obedecem a lei e que a consultoria jurídica do tribunal concluiu que os atos não foram vedados pela Lei 173.

Diante da reação negativa à promoção, a AGU foi pressionado a recuar das promoções.

Dados do governo apontam o custo de R$ 1 bilhão a cada ciclo bianual com as promoções. Não há um órgão centralizador dessas promoções que acontecem automaticamente, por antiguidade e mérito. Cada órgão tem autonomia para fazer as suas promoções e o argumento tem sido o mesmo: que há espaço no orçamento de cada um para fazer as promoções. Mesmo com a crise fiscal que diminuiu recursos para áreas essenciais.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Antes de promoções na AGU, TCU já havia mudado cargo de 39 servidores"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.