Economia

Alta externa e vendas do varejo brasileiro impulsionam Ibovespa

Da Redação ·

A tentativa de recuperação das perdas recentes das bolsas internacionais, a valorização das commodities e o crescimento das vendas do varejo brasileiro traduzem em alta do Ibovespa nesta quarta-feira, após o recuo de 1,44%, da véspera, para os 125.094,88 pontos, em meio a desconforto principalmente com ruídos políticos internos.

continua após publicidade

As bolsas europeias sobem impulsionadas por revisões para cima no crescimento da zona do euro, enquanto investidores esperam a ata da mais recente reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), que sairá às 15 horas. O documento pode trazer sinais mais claros sobre as próximas ações do Fed. Enquanto isso, as bolsas americanas sobem de forma moderada.

"O mercado ficará de olho para saber a avaliação do Fed sobre se há uma desaceleração do crescimento, se o processo de recuperação já se esgotou em meio a tanta liquidez", avalia Thiago Raymon, head de Estratégia na Wise Investimentos, escritório plugado ao BTG.

continua após publicidade

O economista Carlos Lopes, do BV, acredita que a ata não trará "uma grande mudança de sinalização do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), mas pondera que o documento não deixa de ser o evento mais importante do dia para os mercados.

Conforme Raymon, a eventual indicação de retomada de alta dos juros nos EUA e de início da retirada dos estímulos fiscais tende a ser ruim para emergentes, como o Brasil, o que deve gerar pressão principalmente no câmbio. "Isso pode levar a uma fuga de investimentos do Brasil", diz.

Além da valorização do petróleo no exterior, após o recuo da véspera, as ações da Petrobras podem se beneficiar do anúncio de aumento em 7% nos preços de venda de gás natural da estatal para as distribuidoras. Às 10h43, os papéis da estatal tinham sinais mistos: PN subia 0,58% e ON caía 0,10%. Já o minério de ferro negociado em Qingdao, na China, fechou em leve alta de 0,01%, a US$ 222,39 a tonelada. Ainda assim Vale ON avançava 1,07%.

continua após publicidade

Apesar de o crescimento das vendas do varejo em maio terem ficado aquém das medianas na pesquisa Projeções Broadcast, anima o setor na Bolsa. As ações de Magazine Luiza ON, por exemplo, lideravam a lista das oito maiores elevações do Ibovespa, com alta de 3,51% às 10h44.

A visão é de que os dados consolidam a ideia de recuperação da economia interna. Conforme o IBGE, o varejo restrito está 3,9% acima do pré-pandemia. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, as vendas operam 1,6% acima do pré-pandemia. "É um sinal de que as coisas estão andando, mas ainda tem muito para correr. O desemprego está alto", analisa Raymon. Contudo, fica no radar a queda na produção de veículos, de 13,4% em junho ante maio, pela Anfavea.

Internamente, a preocupação com o cenário na política deve continuar, podendo limitar alta no decorrer do dia na B3, assim como pode desagradar ao mercado o novo debate na equipe econômica sobre a reforma do Imposto de Renda para pessoa jurídica. A equipe econômica pretende atrelar uma redução maior do IRPJ para todas as firmas do País a um corte expressivo de subsídios tributários que são usados apenas por alguns grandes conglomerados.

continua após publicidade

"O ambiente político deve ter mais um dia carregado pelos trabalhos da CPI da Pandemia. O colegiado escuta hoje Roberto Dias, ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, que foi acusado de ter pedido propina e feito pressão indevida para a compra de vacinas pela pasta", observa em nota a XP Investimentos.

Podem desagradar ainda as incertezas sobre privatização. O procurador-geral da República, Augusto Aras, manteve posição contrária à venda dos Correios. Já o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), mudou o texto da MP, que abre caminho para a desestatização da Eletrobras, por 'inexatidão'. A despeito disso, as ações da Eletrobras subiam 0,40% (PNB) e 0,86% (ON) às 10h47. O Ibovespa tinha alta de 0,71%, aos 125.980,65 pontos, após máxima diária aos 126.305,45 pontos.

Em tempo: no dia 5, houve entrada de fluxo estrangeiro da B3 de R$ 230,933 milhões.