Acordo prevê unificação entre os projetos de lei do setor elétrico - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Economia

Acordo prevê unificação entre os projetos de lei do setor elétrico

Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Acordo costurado entre o senador Marcos Rogério (DEM-RO), presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, e a deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO), presidente da Comissão Especial do projeto de Portabilidade da Conta de Luz, prevê que os projetos de lei 232/16 e 1917/15, que tratam da modernização do marco regulatório do setor elétrico, sejam apensados.

A informação foi compartilhada pela deputada federal durante uma live promovida pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) para discutir a abertura do mercado livre e o futuro do mercado regulado. De acordo com a presidente, a ideia é que os projetos sejam unificados quando estiverem em tramitação na mesma casa - ou no Senado ou na Câmara dos Deputados, o que vier a ocorrer primeiro.

O PLS 232, cujo relator é o próprio senador Marcos Rogério, foi aprovado na Comissão de Infraestrutura em março deste ano e aguarda a votação no plenário do Senado Federal para ir à Câmara dos Deputados. Já o PL 1917 teve o seu relatório apresentado pelo deputado federal Édio Lopes (PL-RR) no final do ano passado, mas o texto não foi submetido à votação terminativa na Comissão Especial até o momento.

"No final do ano, não senti segurança para colocar o projeto em votação", reconheceu Jaqueline, argumentando que, no seu entendimento, a matéria ainda precisaria ser mais bem avaliada para evitar que a abertura do mercado livre incorresse em custos futuros aos clientes cativos - esse tema, inclusive, tem sido uma bandeira da Abradee diante do avanço da geração distribuída solar e da flexibilização dos limites de carga para migração de consumidores ao ambiente de livre contratação.

O parecer apresentado pelo relator Édio Lopes define que a abertura total do mercado livre ocorra dentro de um prazo de 60 meses após a publicação da lei. Para a presidente da Comissão Especial, a flexibilização poderia levar um pouco mais de tempo do que o proposto. "Temos que discutir uma série de fatores para que os custos futuros não fiquem com o consumidor. É preciso ter cuidado de ter segurança jurídica em todos os sentidos e ser feita com muita responsabilidade", argumentou Jaqueline.

Passados quase nove meses após a apresentação do texto pelo relator, Jaqueline agora vê que é o momento de colocar o parecer em votação na Comissão Especial. Porém, as restrições impostas pela pandemia estão dificultando a normalização dos trabalhos pelo Congresso Nacional. A deputada, inclusive, já discutiu a possibilidade da retomada das comissões com o líder dos Progressistas, o deputado federal Arthur Lira.

"A gente precisa estar junto (dos parlamentares) para trocar ideias. É essencial isso. Lamento que isso já esteja parado, porque estamos em agosto e isso já poderia ter sido aprovado", afirmou a presidente da Comissão Especial. Jaqueline também afirmou que vem mantendo conversas com o deputado federal Lafayette Andrada (PRB-MG), que está trabalhando no projeto de lei que o cria o Código Brasileiro de Energia Elétrica.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Acordo prevê unificação entre os projetos de lei do setor elétrico"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Todos os candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.