Facebook Img Logo
Mais lidas
Economia

Intervalo de tolerância da meta de inflação será lei, diz Meirelles

.

MAELI PRADO

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quinta-feira (1º) que o governo planeja formalizar, dentro do projeto de lei que institui a autonomia do Banco Central, a determinação de que os diretores devem perseguir o intervalo de tolerância previsto na meta de inflação.

A preocupação de formalizar isso no projeto de lei, segundo o ministro da Fazenda, é responder a preocupações de que o BC possa perseguir excessivamente o objetivo de controle de preços, penalizando o crescimento.

A ala política do governo defende que o BC busque o duplo mandato, ou seja, persiga o controle da inflação mas também o crescimento.

"Estamos discutindo qual seria o formato adequado para o Brasil", disse o ministro. "O importante é que o BC tenha autonomia para seguir seu objetivo básico, que é a inflação controlada. Há uma preocupação em vários lugares do mundo de se exagerar no controle da inflação e prejudicar o crescimento. Mas o regime de metas já prevê isso, que a inflação tem que ser perseguida dentro daquela faixa, e isso já resolve essa preocupação".

Segundo Meirelles, seria uma "explicitação" do que já ocorre.

"Em tese, o Banco Central, não esse, mas algum futuro, poderia exagerar e jogar a inflação muito mais baixo do que seria necessário. Isso poderia estar abaixo da meta. Mas existe uma solução para isso, que desenvolvemos, e estou conjugando. É termos mandato de controlar a inflação e provisões como incorporar no próprio projeto sistemas de meta de inflação, piso, intervalo de tolerância."

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber