Facebook Img Logo
Mais lidas
Economia

Programa de aceleração de negócios da periferia anuncia selecionados

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Aceleradora de Negócios de Impacto da Periferia vai apresentar nesta quinta-feira (1º) os cinco primeiros negócios que irá apoiar. Os empreendedores selecionados participarão de capacitação de quatro meses.

Eles também podem receber R$ 20 mil para investir no negócio ao final da aceleração, caso tenham bom aproveitamento do processo.

Entre os escolhidos, há desde uma boutique que cria acessórios que valorizam a identidade negra até escola de robótica e programação voltada para jovens da periferia.

A iniciativa é realizada pela produtora A Banca em parceria com Artemisia (organização sem fins lucrativos que apoia negócios sociais) e do Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getulio Vargas em São Paulo.

A seleção incluiu empresas dos distritos Jardim Angela (M’Boi Mirim), Capela do Socorro e Campo Limpo, todos da capital paulista.Paulo.

Conheça os escolhidos:

- Boutique Krioula

Criada há cinco anos por Michelle Fernandes no Campo Limpo, a desenvolve acessórios que resgatam a identidade e autoestima da população negra.

- Empreende Aí

Criada por Luís Henrique Coelho e Jennifer Rodrigues no bairro do Jardim São Luiz, a Empreende Aí tem o intuito de disseminar a educação empreendedora de qualidade para territórios populares, democratizando o ensino e acesso as teorias e práticas de como se empreender. A empresa oferece cursos presenciais e on-line focados em capacitar jovens via conhecimentos teóricos e práticos sobre empreendedorismo.

- Ecoativa

Criado por Jaison Pongiluppi, a Ecoativa desenvolve intercâmbios e vivências de impacto ambiental. A empresa conta com a Casa Ecoativa, um programa de gestão ambiental participativo do bairro Ilha do Bororé; possui, ainda, um espaço de convivência chamado de Centro Eco-cultural –que tem articulado e construído propostas e atividades sócio-eco-culturais desde 1998. O foco está no resgate da cultura da comunidade, valorizando os artistas populares da região e as ações voltadas à preservação do meio ambiente.

- Jovens Hackers

Arthur Gandra criou o Jovens Hackers no bairro de Campo Limpo para oferecer aulas de programação e cultura maker robótica com custo simbólico para jovens da periferia.

- Editora Selo Povo

O escritor Ferréz fundou a Selo do Povo com o sonho de criar uma editora com catálogo especificamente de autores da periferia. Hoje, o negócio instalado no bairro Capão Redondo atua com redação, editoração e concepção de livros com valor acessível.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber