Facebook Img Logo
Mais lidas
Economia

Corte no investimento eleva lucro da Vale

.

NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A mineradora Vale teve lucro de R$ 17,6 bilhões em 2017, alta de 28% com relação ao verificado no ano anterior. O resultado foi beneficiado por melhores preços do minério de ferro e menores baixas no valor de ativos.

No entanto, a companhia teve em 2017 o menor nível de investimentos desde 2005: US$ 3,8 bilhões, dos quais US$ 2,2 bilhões em manutenção. Foi a primeira vez desde 2005 também que os gastos com manutenção foram superiores ao investimento em novos projetos, que somaram US$ 1,6 bilhão.

Em nota distribuída nesta terça (27), o presidente da companhia, Fabio Schvartsman, disse que "2017 foi o ano de inflexão para a Vale". "Demos início a ambiciosas mudanças em eficiência, gerenciamento de custos e governança corporativa", afirmou.

Em 2017, os acionistas da mineradora promoveram uma grande reestruturação societária, extinguindo o bloco de controle -até então nas mãos de Bradesco e dos fundos de pensão Previ (dos empregados do Banco do Brasil), Petros (Petrobras), Funcef (Caixa) e Funcesp (Cesp).

Com melhores preços de venda, a receita operacional da empresa subiu 14,7% em 2017, chegando a R$ 108,5 bilhões. A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos e amortizações) cresceu 19,7%, para R$ 48,9 bilhões.

Segundo a companhia, a alta nos preços foi resultado de aumento da demanda global por aço e por cortes de produção e maior controle de poluição na China, que elevaram a demanda por minério de maior qualidade.

Assim, seu preço de venda do minério subiu 18%, em média no ano, para US$ 64,2 por tonelada. O preço de venda das pelotas teve alta de 36%, para US$ 109,2, em função de maiores prêmios.

Na nota em que divulga o resultado, a companhia reafirma, porém, estratégia para diversificar as operações e reduzir a dependência do minério de ferro, que levou a grandes prejuízos durante os anos de preços em baixa.

"Queremos transformar a Vale em uma empresa mais previsível", disse Schvartsman. Em 2017, o minério ferro foi responsável por 73,7% da receita. A melhora na receita e o corte de investimentos reduziram a dívida líquida de US$ 25 bilhões para US$ 18,1 bilhões. Com a venda de ativos de fertilizantes, o valor cai foi a US$ 14,4 bilhões.

A direção optou pelo pagamento do mínimo de dividendos previstos: serão distribuídos R$ 4,7 bilhões aos acionistas. Segundo a Vale, com uma dívida menor, poderá adotar uma política de dividendos "mais agressiva".

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber