Facebook Img Logo
Mais lidas
Economia

Novo presidente do BC dos EUA sinaliza aumento gradual de juros

.

ESTELITA HASS CARAZZAI

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - Em seu primeiro depoimento ao Congresso, o novo presidente do Fed (o banco central americano), Jerome Powell, afirmou nesta terça (27) que irá continuar a aumentar gradualmente a taxa de juros dos Estados Unidos, a fim de manter a economia estável.

"Aumentos graduais irão promover a melhor obtenção de nossos objetivos [estabilidade de preços e máxima empregabilidade]", declarou. Atualmente, a taxa de juros dos EUA está entre 1,25% e 1,5%.

A declaração de Powell demonstra a continuidade da política monetária de sua antecessora, Janet Yellen: no ano passado, o Fed aumentou os juros por três vezes consecutivas.

"Nossa estratégia atual parece estar funcionando bem", afirmou.

Durante a audiência com os deputados, Powell expôs a existência de alguns fatores-chave no atual cenário econômico do país, que podem ter efeitos inflacionários. 

Entre eles, estão uma política fiscal mais expansiva, a elevação da renda média do americano, novos investimentos privados e uma maior demanda por exportações dos EUA.

A previsão do Fed, segundo expôs o presidente, é que a inflação americana cresça levemente ao longo do ano e se aproxime dos 2% nos próximos doze meses. Em 2017, a taxa foi de 1,7%. 

O objetivo do órgão, portanto, é estabilizar a inflação em 2%, a fim de garantir o crescimento sustentável da economia.

Apesar disso, Powell destacou que considera o cenário econômico dos EUA "sólido" e "forte". Ele fez referência à taxa de desemprego no país, que caiu para 4,1% no último ano, e destacou o desempenho do PIB, que cresceu próximo dos 3% no final de 2017.

DESEQUILÍBRIOS

Powell se demonstrou otimista com a economia americana, a despeito de uma recente queda na Bolsa de Valores do país, que agitou investidores.

Para ele, é preciso estar alerta a sinais de desequilíbrio no mercado financeiro, mas ele afirmou não se preocupar com riscos sistêmicos neste momento.

Advogado de inclinação republicana, o novo presidente do Fed se desviou de perguntas sobre o desemprego entre negros, o recente corte de impostos pelo presidente Donald Trump e a desigualdade de pagamento entre homens e mulheres.

Pressionado por deputados democratas a se manifestar sobre esses temas, Powell afirmava que o Fed "não tem ferramentas" para atuar nessas áreas, e afirmou que a responsabilidade cabe ao Congresso ou ao governo.

O advogado também defendeu uma regulação menos pesada para pequenos negócios financeiros, e disse que o objetivo do Fed é promover a prosperidade entre todas as camadas da população.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber