Facebook Img Logo
Mais lidas
Economia

Setor de serviços encolhe em 2017, mas ensaia retomada em dezembro

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O volume de serviços, setor que representa 70% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil, caiu 2,8% em 2017, na comparação com o ano anterior. Já a receita nominal -sem considerar a inflação- fechou o ano com alta de 2,5%.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (16).

Em dezembro, o setor cresceu 1,3% em volume em relação a novembro. Na comparação com dezembro de 2016, o volume subiu 0,5% e interrompeu uma sequência de 32 quedas seguidas.

"Estávamos desde março de 2015 sem resultados positivos [na comparação do mês com o mesmo período do ano anterior]. É um resultado só, não podemos ainda afirmar que se trata de uma recuperação. Mas, lógico, é um fato positivo", disse o gerente da pesquisa, Roberto Saldanha.

Cinco dos seis segmentos do setor de serviços tiveram queda no volume no ano passado, com destaque para os serviços profissionais, administrativos e complementares, que caíram 7,3%.

Também registraram queda os serviços prestados às famílias (-1,1%), os serviços de informação e comunicação (-2%) e as atividades turísticas (-6,5%).

O setor de transportes foi o único com alta em 2017: 2,3%.

Segundo Saldanha, o segmento foi impulsionado pela indústria, que é o grande demandante desses serviços. "Isso beneficia o transporte terrestre, o aquaviário, também impulsionado pelas exportações, e a armazenagem", explicou Saldanha.

Os transportes rodoviário e o aquaviário tiveram altas acumuladas em 2017 de 0,9% e 17,5%, respectivamente, enquanto armazenagem, serviços auxiliares e de correio cresceram 8,1%.

Somente o transporte aéreo apresentou queda, com baixa de 19,4% no ano.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber