Mais lidas
Economia

BC veta tentativa do BNDES de entrar no mercado de LCIs

.

MARIANA CARNEIRO

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Banco Central vetou a tentativa do BNDES de entrar no mercado de letras de crédito imobiliário com o objetivo de captar recursos no mercado e, assim, pagar o Tesouro Nacional.

Em ofício enviado no último dia 24, um dia após a Folha de S.Paulo mostrar a intenção do banco de fomento, o BC emitiu a negativa ao BNDES.

O BC informou ao BNDES que a emissão de LCIs (letras de crédito imobiliário) não faz parte do perfil ou do papel do banco de fomento e que os títulos de renda fixa foram idealizados para estimular o setor imobiliário.

O BNDES buscava as LCIs como uma forma de captar recursos mais baratos no mercado e, com isso, honrar pagamentos ao Tesouro e ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) neste ano.

O Tesouro espera receber R$ 130 bilhões do BNDES, necessários para cumprir a regra de ouro -- norma que proíbe que o governo faça emissões de dívida para pagar despesas do dia a dia.

A expectativa do BNDES era captar até R$ 30 bilhões com a emissão de LCIs, e de R$ 5 bilhões a R$ 6 bilhões neste ano.

Os títulos são produto de interesse de investidores, um mercado que movimenta cerca de R$ 185 bilhões.

Os bancos privados utilizam as LCIs para levantar dinheiro, a baixo custo, para dar crédito habitacional.

Na proposta que enviou ao BC, o BNDES inclui um pedido adicional: que o recurso que ele captar com a LCI possa ser direcionado a empréstimos para investimento.

As emissões de LCI do BNDES teriam como garantia empréstimos de empresas clientes que deram imóveis como aval para as operações.

Desde o pedido, o BNDES já sabia da resistência do BC em relação à sua entrada no mercado de letras, por temer o efeito da concorrência do banco sobre instituições privadas.

Nesta sexta-feira (2), o BNDES confirmou que a negativa foi oficializada pelo BC.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber