Mais lidas
Economia

Varejista H&M retira propaganda após acusações de racismo

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A varejista de moda H&M (Hennes et Mauritz) pediu desculpas anunciou a retirada de uma propaganda acusada de racismo nas redes sociais.

A foto publicitária mostra um garoto negro com um casaco em que se lê: "Coolest monkey in the jungle" (em português, "O macaco mais legal da floresta").

Neste domingo (7), a blogueira de moda britânica Stephanie Yeboah reagiu ao post com indignação no Twitter e seu post foi replicado por mais de 16 mil pessoas (https://twitter.com/NerdAboutTown/status/950124482093559809).

Como resposta, a página da empresa na África do Sul respondeu aos comentários com um pedido de desculpas por "terem ofendido clientes".

"A imagem já foi removida de todos os canais on-line, e o produto não será mais vendido na África do Sul", diz o comunicado.

Outras empresas já viveram episódios semelhantes.

Em 2014, a marca Zara retirou de vendas uma camiseta infantil com listras e uma estrela amarela bordada -roupa acusada de se parecer com os uniformes usados por judeus em campos de concentração nazistas.

Em outubro do ano passado, a Dove, de produtos de higiene, também teve que se desculpar por uma publicidade acusada de racismo. Nela, uma mulher negra tira uma camiseta para revelar uma mulher branca, que remove sua camiseta e revela uma terceira mulher, asiática.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber