Mais lidas
Economia

Petrobras caminha para registrar o primeiro lucro anual após Lava Jato

.

NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Petrobras teve lucro de R$ 266 milhões no terceiro trimestre e pode fechar 2017 com o primeiro lucro anual desde 2013, antes da descoberta do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. Foi o quarto trimestre consecutivo com resultado positivo.

No acumulado do ano, a Petrobras soma R$ 5 bilhões de lucro, segundo o balanço divulgado nesta segunda (13). No mesmo período do ano anterior, houve prejuízo de R$ 17,3 bilhões, provocado por baixas em valores de ativos no valor de R$ 47,3 bilhões.

O resultado do trimestre ficou abaixo dos R$ 3,56 bilhões esperados por analistas consultados pela Bloomberg. A empresa diz que a diferença reflete fatores não recorrentes, como a adesão a programas de regularização tributária e provisão para contingências judiciais, que impactaram o resultado negativamente em cerca de R$ 2 bilhões.

"Levando em conta os índices não recorrentes, o nosso resultado não ficaria distante das projeções do mercado", afirmou o presidente da companhia, Pedro Parente.

Ele evitou, porém, projeções sobre o primeiro lucro anual desde 2013 --e, consequentemente, sobre o pagamento de dividendos a seus acionistas. "Queremos pagar dividendos o mais rápido possível. Esperamos que seja 2017, mas não podemos garantir", disse.

A direção da companhia, porém, disse não esperar baixas no valor de ativos em volumes significativos até o final do ano. Desde 2014, essas revisões têm tido impacto determinante nos maus resultados da empresa.

O resultado do terceiro trimestre de 2017 teve como influência positiva o crescimento das exportações de petróleo e derivados e cortes de custos. No mesmo período de 2016, quando realizou a revisão dos valores de ativos, a companhia teve prejuízo de R$ 16,5 bilhões.

RECEITA

A receita da estatal foi de R$ 71,8 bilhões, 2% a mais do que no mesmo trimestre do ano anterior. A geração de caixa medida pelo Ebitda foi de R$ 22,2 bilhões, ante R$ 14,7 bilhões no mesmo período do ano anterior.

Pelo décimo trimestre consecutivo, a companhia teve fluxo de caixa livre, isto é, gerou mais dinheiro do que gastou --no acumulado do ano, a sobra já é de R$ 37,5 bilhões, recursos que estão sendo usados para rever o perfil da dívida da empresa.

"A gente já começa a colher os benefícios dos pré-pagamentos de dívidas", disse o diretor financeiro da companhia, Ivan Monteiro. No ano, a Petrobras amortizou pagou R$ 91 bilhões em dívidas e captou R$ 72 bilhões.

A empresa fechou o trimestre com dívida líquida de R$ 279,2 bilhões, queda de 5% com relação aos R$ 295,3 bilhões do fechamento do trimestre anterior. O indicador de dívida líquida sobre Ebitda caiu para 3,16 vezes, ante 3,23 vezes no trimestre anterior. A meta é alcançar 2,5 vezes ao fim de 2018.

Os investimentos permanecem abaixo do registrado no ano anterior. Nos primeiros nove meses de 2017, foram R$ 29,4 bilhões, queda de 19%.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber