Mais lidas
Economia

ATUALIZADA - Venezuela não deseja criar mais um inimigo, afirma Meirelles

.

ISABEL FLECK, ENVIADA ESPECIAL

NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quinta-feira (21), em Nova York, que a Venezuela deve tentar colaborar para evitar novos calotes a fornecedores brasileiros por não interessar a eles "criar mais um inimigo".

Segundo a Folha de S.Paulo publicou nesta quinta, o governo brasileiro enviará representantes do Banco Central e do Ministério da Fazenda a Caracas para negociar com as autoridades e tentar evitar um calote que pode chegar a US$ 5 bilhões (R$ 15 bilhões).

"Eu acredito que eles têm interesse de manter relações razoáveis e boas e produtivas com o Brasil, um vizinho importante, grande", disse Meirelles. "Não me parece que interessa a eles criar mais um inimigo", disse o ministro.

Segundo o ministro, a negociação deve ser feita "no sentido de proteger os interesses do país".

"O país tem que defender os seus interesses, eles estão procurando defender o deles porque estão numa situação difícil, é normal", afirmou. "A Venezuela está numa situação muito difícil, todos sabem disso. E estamos trabalhando duro nessa linha."

A Venezuela já deixou de pagar uma parcela de US$ 262 milhões (cerca de R$ 820 milhões) a fornecedores brasileiros no início do mês.

A maior parte dessa dívida é de obras feitas pelas construtoras Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, todas com financiamento do BNDES.

A relação entre os dois países está abalada desde que o Brasil defendeu sanções à Venezuela no Mercosul.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber