Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Economia

Conselho da Petrobras aprova abertura de capital da BR

.

NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O conselho de administração da Petrobras aprovou nesta terça (11) a abertura de capital da BR Distribuidora, sua maior subsidiária. O processo faz parte do plano de desinvestimentos da estatal, com o qual a empresa pretende levantar US$ 21 bilhões até 2018.

Segundo a Petrobras, o objetivo é promover uma oferta de ações em um modelo que permita à subsidiária aderir ao Novo Mercado da bolsa de São Paulo (B3), que valoriza práticas de governança corporativa.

Nesse mercado, por exemplo, as companhias só podem ter uma classe de ações, todas com direito a voto, devem ter um mínimo de 20% de conselheiros independentes e manter pelo menos 25% das ações em circulação no mercado.

A ideia de abertura de capital da BR começou a ganhar força na estatal este ano, a partir da melhora nas condições do mercado acionário brasileiro. Em 2016, ela havia sido descartada, dando lugar a uma proposta de venda do controle da empresa para um parceiro estratégico.

Agora, a empresa avalia que pode levantar mais recursos oferecendo ações no mercado. A Petrobras não esclareceu, porém, qual a fatia que pretende destinar a outros investidores.

Em nota, disse apenas que "todos os atos necessários para a realização da oferta estarão sujeitos à aprovação dos órgãos internos da Petrobras e da BR, bem como à aprovação dos respectivos entes reguladores".

A BR já teve ações negociadas em bolsa, mas o capital da companhia foi fechado no início dos anos 2000, como parte de uma estratégia para concentrar as negociações de ações na holding.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber